domingo, 28 de fevereiro de 2010

Terremoto do Chile não tem relação com o do Haiti



Para decepção dos alarmistas, sismólogos afirmam que este terremoto do Chile não tem nenhuma relação com o acontecido a pouco tempo no Haiti.

Lucas Vieira Barros, professor do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília, afirmou que os terremotos ocorridos no Haiti e, mais recentemente, no Chile, não apresentam qualquer relação de causa e efeito.
Em entrevista a Zero Hora, Lucas Vieira Barros, afirmou:

— Os terremotos são cíclicos. Eles acontecem hoje e dependendo do seu tamanho, da sua magnitude, vão acontecer novamente daqui a 50, 100, 200, mil, ou até 10 mil anos. Quanto maior é o terremoto, maior é o tempo de repetição dele — explica o sismólogo.

Segundo ele, a Cordilheira dos Andes está localizada em uma região extremamente sísmica. O contato entre as placas Nazca e Sul-Americana já causou o maior e mais profundo terremoto da história, em 1960. O tremor chegou a atingir 9,5 na escala de Richter.

— Quanto menor a profundidade do terremoto, maior as chances de gerar danos. No caso do Haiti, foi um terremoto de magnitude 7 e profundidade de 10km, considerado raso. Ele produziu muitos danos por causa da magnitude, da proximidade e da má qualidade das construções — afirma Barros.

No Chile os estragos teriam sido menores, apesar da maior magnitude devido a distância do centro urbano e da profundidade. A energia gerada pelo sismo que sacudiu o Chile foi cerca de 800 vezes maior do que a produzida pelo Haiti, diz o professor.

— Os centros urbanos mais importantes do Chile estão a mais de 100km de distância do centro do terremoto — estima Barros lembrando que as construções chilenas estão bem melhor estruturadas para sofrer tremores.

— A relação que existe diz respeito unicamente à fonte de energia. O terremoto acontece porque a terra se quebra. E a terra se quebra onde ela é mais rígida, em resposta às forças geológicas provenientes do interior da terra conclui.
- O professor explicou também porque os gaúchos não teriam sentido os mesmos tremores registrados em São Paulo na madrugada de sábado. Segundo ele, além da diferença entre os terrenos, o epicentro do terremoto teria gerado mais energia em direção ao sudeste do Brasil.

— Certamente as ondas sísmicas geradas nos Andes tem energia maior irradiada em direção à São Paulo e não em direção a Porto Alegre. A geologia sob a qual está Porto Alegre não é a mesma sob o qual estão assentados os prédios de São Paulo — completa Barros.


Ondas de 1,5m chegam ao Japão


A segunda leva de ondas chegou ao litoral da cidade de Iwate, no norte do Japão com ondas de 1,5 m. A primeira informação é de que as ondas, que chegaram por volta das 4h50 no horário de Brasília, mediam 1,2 m no Porto de Koji. As primeiras ondas chegaram ao país por volta da 1h30 e foram consideradas pequenas.

Segundo a agência local Kyodo, as ondas de 1,5 m chegaram ao porto Otsuchi Koji de Iwate (em Hontsu, a principal ilha do Japão), enquanto no Porto de Koji nessa mesma Prefeitura elas atingiram os 90 cm.


Nas Prefeituras de Iwate, Aomori e Miyagi há um alerta de "grande tsunami", com risco de ondas de até de três metros, que, segundo a Kyodo, levou a ordenar a evacuação imediata de 320 mil pessoas residentes nas imediações do litoral.

No início da madrugada, a agência sismológica japonesa determinou a retirada de mais de 10 mil habitantes do litoral da prefeitura de Sendai, no norte do arquipélago.

Na Rússia, o alerta de tsunami levou à evacuação dos habitantes do litoral da península de Kamtchatka e das Ilhas Sakhalinas, onde são esperadas ondas de até dois metros, segundo a agência RIA Novosty, que cita fontes oficiais. Segundo informações da agência Reuters, ondas de cerca de 70 cm atingiram a costa da Rússia por volta das 2h30 no horário de Brasília.

A Agência Meteorológica do Japão emitiu no início da madrugada deste domingo um alerta de "grande tsunami" no litoral nordeste do país perante a possível chegada de ondas que poderiam chegar a três metros.

Trata-se do maior alerta de tsunami declarado no Japão nos últimos 17 anos. O motivo por causa do grave terremoto ocorrido no sábado de madrugada no Chile de 8,8 graus de magnitude na escala aberta de Richter, e as autoridades japonesas pediram a evacuação do litoral das zonas em alerta 'imediatamente'.

Fonte: terra

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Agora o alerta de Tsunami é no Japão e Russia



Passado o susto no Havaí, agora o Japão está em alerta.



Um alerta de tsunami foi emitido no Japão, advertindo para a possibilidade de ondas de 3 metros ou mais em sua costa norte no Oceano Pacífico. Moradores do litoral foram levados para locais mais altos, fora do alcance de eventuais ondas.
O tsunami no Pacífico é uma conseqüência do terremoto que atingiu o Chile na madrugada deste sábado (27).

As primeiras ondas já chegaram à Nova Zelândia no domingo (horário local), informaram autoridades, mas não há relatos de vítimas ou danos. A exemplo do Japão, centenas de moradores da costa leste do país foram levadas para áreas mais altas e navios se moveram para o mar em meio a alertas de autoridades de que os efeitos do tsunami devem ser sentidos durante todo o dia. O Chile foi atingido neste sábado (27) por um terremoto de magnitude 8,8, que matou ao menos 214 pessoas, causou a queda de prédios e provocou um tsunami que pôs em alerta todos os países do Pacífico.

Cancelado Alerta de Tsunami no Havaí


Esperavam-se ondas de até 2,5m, mas elas chegaram no máximo a 1,0m.

As autoridades cancelaram neste sábado o alerta de tsunami no Havaí. As ondas geradas pelo terremoto que atingiu o Chile chegaram a uma altura máxima em torno de um metro, menores que o previsto. O Centro de Alertas de Tsunami do Pacífico tinha indicado inicialmente que as ondas poderiam alcançar os 2,5 metros, por isso que se procedeu a evacuação das áreas baixas do arquipélago.

Proprietário de um estabelecimento protegendo a porta com sacos de areia para evitar entrada da água.

Alerta de tsunami na costa do pacífico em função do Terremoto

O sismo de 8,8 graus na escala Richter que sacudiu hoje o Chile provocou um tsunami no Oceano Pacífico que chegará ao Havaí pouco depois das 18h de Brasília, informou a Administração Nacional de Atmosfera e Oceanos (NOAA, na sigla em inglês). — O tsunami gerado poderá gerar danos no litoral de todas as ilhas do estado do Havaí. Devem ser tomadas medidas urgentes para proteger vidas e as propriedades —, disse NOAA em comunicado. Conforme a agência, as primeiras ondas do maremoto chegarão ao arquipélago às 11h19 no horário local (18h19 em Brasília) e prevê que este seja o maior tsunami registrado na região desde 1964.

O tsunami deverá ter uma série de ondas individuais que se manterão entre 5 e 15 minutos antes de chegar a terra e que o perigo pode durar por "muitas horas" com a chegada de ondas sucessivas.

NOAA afirmou que a água poderia se afastar em direção ao interior do mar antes da chegada das ondas, cuja altura não é possível estipular, e alertou que a primeira a tocar a terra provavelmente não será a maior delas.

Todo o litoral das ilhas do Havaí está em perigo, sem importar sua orientação, já que as ondas as circundarão, disse.

As autoridades desse estado farão soar as sirenes de alerta às 6h no horário local (13h em Brasília) para alertar da chegada do maremoto e evacuarão os moradores das regiões costeiras. NOAA emitiu um alerta de tsunami para um ampla área do Pacífico, incluído México, Peru, Equador, Nova Zelândia, Austrália, Rússia, Indonésia, Japão e Filipinas, além do Chile. O Governo chileno ordenou a evacuação dos habitantes das áreas baixas da Ilha de Páscoa, que devem ser as primeiras atingidas golpeadas pelo tsunami.

Chile está localizado em uma das áreas mais císmicas do mundo

Não vão faltar alarmistas para relacionarem esse tremor com o aquecimento global, por isso estou postando o histórico de tremores que ocorreram no chile, muito maiores do que este.



O contato entre as placas tectônicas produz tremores de grandes proporções no chile de dez em dez anos.



Chile, onde hoje foi registrado um terremoto de 8,8 graus na escala Richter nesta madrugada, fica no chamado "círculo de fogo" que margeia os países banhados pelo Pacífico, uma das áreas mais sísmicas do planeta, onde ocorrem 80% dos terremotos.


O país é formado por uma estreita faixa de terra limitada por picos de até 6 mil metros nos Andes e profundidades de 4 mil a 6 mil metros no mar. Estatisticamente, a interação entre as placas tectônicas de Nazca e a América do Sul produz um terremoto de grandes proporções a cada 10 anos, uma média de dez pequenos tremores diários e 3,5 mil movimentos sísmicos anuais, segundo o Instituto de Geofísica da Universidad de Chile.


Veja o Histórico dos tremores na Região


-No século 19, ocorreram terremotos devastadores no Chile:


- em 1822 em Valparaíso; em fevereiro de 1835 em Concepción, com maremoto;


- em 1854 e 1859 em Caiapó; e em agosto de 1868 e maio de 1877, acompanhados de maremotos em Arica.


- em 1906, houve um terremoto em Valparaíso, seguido de maremoto;


- em 1920 em Chillán e em 1934 em Arauco.


- em 24 de janeiro de 1939, um terremoto deixou 30 mil mortos nas províncias de Talca e Bio-Bio,


- em 29 de abril de 1949, outro tremor causou 33 mortos na região de Talca.


- entre os dias 21 e 26 de maio de 1960, uma série de terremotos de mais de 7 graus na escala Richter atingiram o sul do Chile, causando entre 5 mil e 6 mil mortos.


- no dia 22 de maio de 1960 um forte sismo abalou Valdivia. Um terremoto de 9 graus na escala Richter, considerado o maior registrado no mundo e que gerou um tsunami de 10 metros de altura que chegou até ao Havaí, causou 61 mortos no Chile e mais 32 nas Filipinas. Este terremoto liberou a maior quantidade de energia medida em um terremoto no mundo, com uma ruptura da falha de 1 mil quilômetros e deslocamento de 20 metros. Isso mudou a geografia de 1 mil quilômetros quadrados de costa. As réplicas continuaram por mais um ano.


- em 29 de março de 1965, um terremoto no centro do país, com epicentro em Illapel e 9 graus na escala de Mercalli, causou 350 mortos.


- outros terremotos registrados no Chile com vítimas fatais: Julho de 1971 — Vários tremores entre 4 e 7 graus na escala Richter causam 100 mortos nas províncias de Coquimbo, Valparaíso, Santiago e Aconcágua.


- 3 março 1985 — Um terremoto de dois minutos de duração e 7,5 graus Richter deixou 177 mortos no centro do Chile e em várias províncias argentinas.


- 30 julho 1995 — Três mortos e 2,5 mil desabrigados em Antofogasta, em um terremoto de 7,8 graus Richter que teve mais de 50 réplicas em uma área de mais de 800 quilômetros, de Santiago à Serena.


- 24 março 1997 — Dois mortos em um tremor de 5,3 graus na escala Richter na região de Santiago.


- 14 outubro 1997 — Oito mortos no centro e norte do Chile em um terremoto de 6,8 graus Richter e com uma duração inusitada de dois minutos.


- 24 julho 2001 — Dois fortes tremores, de 5,9 graus Richter e 7 graus na escala de Mercalli deixam um morto, vários feridos e fortes danos materiais em áreas rurais de Arica.


- 13 junho 2005 — Um terremoto de 7,9 graus Richter causa 12 mortos no norte, com epicentro a 100 quilômetros de Iquique. Nos dias seguintes ocorreram mais de 180 réplicas.


- 21 abril 2007 — Um terremoto de 6,2 graus Richter na região sulina de Aysén causa três mortos e sete desaparecidos, arrastados por ondas de até seis metros de altura no Puerto Aysén. Um dia depois, um tremor de 5,6 graus sacudiu Santiago e a região central.


- 14 novembro 2007 — Dois mortos e 140 feridos em um terremoto de 7,7 graus Richter em Tocopilla, norte do Chile.

Terremoto no Chile



O governo chileno contabiliza pelo menos 300 mortes causadas pelo terremoto que atingiu o país durante a madrugada deste sábado. O tremor, de 8,8 graus na escala Richter, também foi sentido na Argentina e na cidade de São Paulo. Segundo o ministro do Interior, Edmundo Pérez Yoma, cerca de 34 das mortes foram registradas na região do Maule, a 300 quilômetros ao sul de Santiago. Ainda ocorreram ao menos 13 mortes em Santiago, 10 na região de O'Higgins, quatro em Valparaíso e três em Araucania, a 670 quilômetros ao sul de Santiago.


Na região do Bio-Bio, a 500 quilômetros de Santiago, onde ocorreu o epicentro do terremoto, registrado às 3h36 de hoje, foram confirmadas 10 mortes, mas se presume que exista um número maior, segundo o subsecretário do Interior, Patrício Rosende. Havia problemas de comunicação com essa região, disse o funcionário, que confirmou que o governo declarou estado de catástrofe em todo o território afetado pelo sismo, entre as regiões de Valparaíso e Araucania, que abrange 800 quilômetros do país.A presidente Michelle Bachelet, que esteve desde os primeiros minutos posteriores à catástrofe no Escritório Nacional de Emergência, lamentou não poder informar ainda o número de feridos e anunciou que viajará à região do Maule, a mais afetada, nas próximas horas.


Embora a Marinha chilena tenha descartado o perigo de um tsunami, uma onda de considerável tamanho invadiu parte de um povoado no arquipélago de Juan Fernández, a 600 quilômetros do litoral chileno, sem causar vítimas. Situações similares foram registradas em algumas localidades litorâneas da região do Maule e na Ilha de Páscoa, a 3,6 mil quilômetros do litoral chileno, as autoridades fizeram uma evacuação preventiva do povoado de Hanga Roa, embora não se observaram mudanças no comportamento do mar. Com relação aos danos materiais, o impacto ainda está sendo avaliado.


O aeroporto internacional de Santiago está fechado por estragos em algumas instalações, especialmente na torre de controle.Várias pontes e passarelas de pedestres, assim como estradas que ligam o norte ao sul do país, também estão interrompidas. As autoridades recomendaram não viajar salvo em casos de extrema necessidade. Em Santiago, há algumas estradas urbanas danificadas, segundo o ministro de Obras Públicas, Sergio Bitar.Este terremoto ocorre a poucos dias de completar 25 anos de outro que deixou centenas de mortos e destruiu várias localidades no litoral central do país, em 3 de março de 1985.


Fonte : ZH



Fotos do Pós terremoto no chile















terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Há 30 anos...

Ao abrir a Zero Hora (jornal de grande circulação aqui no RS) de hoje, me deparei com a seguinte manchete:

Enchentes deixam 200 mil desabrigados

Logo pensei, "mais uma enchente", mas quando me dei por conta eu estava lendo a coluna : Há 30 anos em ZH.

Esta coluna existe a muitos anos no jornal e reproduz as manchetes, do mesmo dia, no caso: 23 de fevereiro, só que há 30 anos atrás.

Acompanhe na íntegra:

A manchete está no canto esquerdo abaixo. E o texto completo de 30 anos atrás, diz:


Enchentes deixam 200 mil desabrigados

De acordo com um relatório encaminhado ontem pelo ministério do Interior, já chega a 200 mil o número de desabrigados pelas enchentes em todo o país. Os Estados com maior número de flagelados são Pará, Bahia e Minas Gerais. O ministério trabalha para que o quadro atual de emergência não se torne um caso de calamidade pública.
Na mesma coluna ainda acompanhei a manchete sobre meu time há 30 anos:
Após quase dois meses da conquista do tricampeonato brasileiro invicto, o Inter entra em campo em busca do tetra, contra o Itabaiana, de Sergipe. Jogando no Estádio Beira-Rio, amanhã, Ênio Andrade deve colocar em campo o goleiro Gasperin; Andre Luís e Mauro na zaga; nas laterais, João Carlos e Cláudio Mineiro; Batista, Jair, Valdir Lima e Mário Sérgio no meio-campo; e para o ataque, Chico Espina e Bira.
Se falava em calamidade pública nacional por causa das enchentes, qual a novidade? a mídia sensacionalista de hoje.
E o CO2 há 30 anos? e o aquecimento global?

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Dilúvio na Ilha da Madeira

Antes de ler a postagem...

Não atribuam o fato ao aquecimento Global, pois não é a primeira vez que esse episódio se dá na Ilha da madeira, em 1993 ouve uma enchente de maior proporção do que esta.

Bem, vamos lá...



Uma grande quantidade de chuva, em torno de 180mm em poucas horas atingiu a ilha da madeira, em arquipélago que pertence a Portugal.

O relevo da região favoreceu a descida em alta velocidade das águas até as partes mais baixas.


Foram grandes os estragos e graças aos populares de plantão, com suas filmadoras e cameras fotográficas, podemos ver as proporções do desastre.



O vídeo abaixo mostra a força da correnteza.


video


Segundo a metsul(em amarelo):

Áreas de convecção ganharam muita força sobre o arquipélago durante o avanço de uma massa de ar frio que ativou um sistema frontal na região. A maior disponibilidade de umidade na atmosfera, associada ao Atlântico muito quente, pode ter sido decisiva para que as precipitações fossem muito mais intensas que o normalmente observado.


O número de mortos nas enchentes de sábado no arquipélago português da Madeira aumentou para 42 e o de feridos, para 120, informou hoje o secretário de Assuntos Sociais local, Francisco Ramos. Segundo Ramos, ainda não se sabe ao certo o número de desaparecidos, mais de 250 pessoas deixaram suas casas e nem todos os corpos foram identificados. As chuvas torrenciais e os deslizamentos de terra provocaram a destruição de casas, estradas e infraestruturas, principalmente no sul da ilha da Madeira, a região mais afetada.
Reis, Brasileiro morador da Ilha:
Parecia um tsunami vindo de cima para baixo”, descreve o brasileiro, segundo o qual mesmo os portugueses nascidos no arquipélago não viam algo semelhante desde 1993, quando outra tempestade atingiu a região.“Ontem fez um dia maravilhoso, mas já tinha alerta vermelho para hoje. Pela manhã, o tempo já estava fechado e chovendo. Mais ou menos meio dia, saí para dar aula e já vi o caos nas ruas”, conta Reis, que dá aulas numa academia e mora na Zona do Lido, região turística que foi menos afetada pelas enchentes.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Tornado no sul de SC

Dia 15 de fevereiro foi registrado um tornado sobre o mar, no sul de SC. Observem que a filmagem começa com uma nuvem muito carregada e após, a água começa a levantar, esse movimento caracteriza o evento tornádico.


video


Isso me faz pensar:

Li no site do INPE que Santa Catarina e Rio Grande do Sul são considerados o 2º maior corredor de tornados do mundo, perdendo apenas para América central e sul dos EUA. Só que nossos tornados são de menor duração.


Hoje em dia, um grande número de pessoas possuem aparelhos de celular com máquinas fotográficas ou filmadoras, sendo assim é muito mais fácil de registrar esse tipo de evento.

Antigamente, se fosse presenciado um tornado, até que se buscasse a máquina fotográfica e carregasse o filme, o tornado já era.


E para filmar, pior ainda, filmadora quase ninguém possuia.

Fora o fato de a mídia alarmista estar preocupada com outros fatos, para fazer seu sensacionalismo.

Será que os tornados estão realmente mais frequentes? ou agora é mais fácil de registrá-los?

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Carnaval e Cultura

Acho que o carnaval é uma bela manifestação cultural do povo brasileiro.

Dançar, tomar umas geladas ao som de sambas e marchas de carnaval é uma maravilha, mas hoje em dia isso é quase impossível.

Estou passando o canaval em Imbé - litoral norte do rs - rodando a noite toda em busca de carnaval, só encontrei Rock, musica eletronica, pagode de última, axé, sertanejo universitário (para ver o nível dos nossos universitários), e muitas outras coisas de péssima qualidade.

Sem samba o carnaval perde o sentido.

E o pior é o poder público participar da promoção dessa aculturação, colocando nas programações de carnaval dos municípios: DJs, bandas de Tchêmusic e outras porcarias mais.




O que sobra de uma reunião de pessoas sem cultura é o lixo, atirado à beira mar, o desrespeito a natureza, o desprezo ao meio ambiente, típico de uma reunião de pessoas que passam a noite escutando música com letras, tipo: "da uma abaixadinha, uma reboladinha , mão pra cima", possivelmente as únicas letras que consigam compreender.
Mas pode ser que ainda exista uma ilha com alienígenas, dançando samba, se divertindo, tomando umas cervejas, conversando coisas interessantes.
Hoje, talvez eu ainda procure, afinal ainda é carnaval.
Fico pensando, o carnaval mudou, ou sou eu que estou ficando velho?

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Ondas Gigantes na Califórnia

O litoral norte da Califórnia é conhecido por suas ondas gigantescas.
O campeonato de Surf em Ondas Gigantes que lá se realizava, quase terminou em tragédia.


Duas ondas gigantes não se contentaram em derrubar os surfistas que a desafiavam, invadiram a praia derrubaram a estrutura que abrigava os narradores do evento e feriram 15 pessoas gravemente, com fraturas em pernas e braços.

Mas poderia ter sido pior, não houve nenhuma morte, nem desaparecimento de pessoas no mar.



Zero Hora:



Mundo 13/02/2010


Ondas arrastam espectadores de competição de surfe na Califórnia

Quinze pessoas que assistiam a disputas sofreram fraturas e outras lesões

Duas grandes ondas arrastaram na manhã de sábado um grupo de espectadores de uma competição de surfe, no norte da Califórnia, provocando fraturas e outras lesões. Quinze pessoas sofreram lesões graves, como fraturas nas pernas e nas mãos, informaram as autoridades. Pelo menos três feridos foram levados para hospitais da região. As ondas tinham quase dois metros de altura. A estimativa era de que 200 pessoas estavam no local no momento em que as ondas quebraram na orla. Testemunhas contaram a água derrubou uma estrutura para locutores que estavam transmitindo o Mavericks Surf Contest - competição disputada na cidade de Half Moon Bay, ao sul de São Francisco. Ninguém desapareceu no mar após as ondas.
Não vão faltar pessoas que irão atribuir o fato ao aquecimento global, vão dizer que os oceanos estão invadindo o continente.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Frio hisórico no hemisfério norte e calorão no Brasil, será que tem relação?


São extremos que intrigam os meteorologistas.

Esse calorão, poucas vezes registrado com essa intensidade, apesar de ser um fevereiro de grande iluminação solar, poucas nuvens e chuvas, afinal é verão.

Em contra partida, no inverno do hemisfério norte o frio é extremo, nevascas históricas nos EUA, que inclusive vem provocando deboches dos céticos aos defensores da teoria do aquecimento global. Vídeos como este vem se proliferando na internet:


video


Mas deixando os deboches de lado, esses dias eu estava escutando rádio, quando o meteorologista Cléo Kunh foi indagado sobre o tema, ele prontamente respondeu assim: O planeta tem um equilíbrio de temperatura Global, logo como o inverno por lá está frio demais, nosso verão está quente para haver o equilíbrio.

Bom, ele não podia responder de maneira mais técnica e aprofundada, em uma intervenção de 1min no rádio, mas encontrei no site da Metsul uma explicação mais aprofundada e didática para essa relação:

Vários fatores entraram em cena para que se produzisse a histórica de calor como são muitos os fatores que sustentam o padrão de seguidas e enormes tempestades de inverno no Leste e Nordeste dos Estados Unidos, mas o interessante que em comum existe algo chamado bloqueio atmosférico. No nosso caso, um bloqueio manteve a instabilidade quase parada sobre o Uruguai, onde choveu demais com enchente, impedindo o avanço da frente fria para o Rio Grande do Sul. Com o sistema de alta semi-permanente do Atlântico mais próximo da costa, as águas muitos mais quentes que a média no Atlântico, a atuação do El Niño, o posicionamento mais ao Sul do Vórtice Ciclônico em Altos Níveis (VCAN) do Nordeste e a dissipação da ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul) que predominou em janeiro no Sudeste do Brasil, estabeleceu-se um fluxo contínuo de ar quente de Norte que gerou a alta temperatura.
No caso do Hemisfério Norte, também um bloqueio atmosférico exerce papel crucial para que o Leste e o Nordeste norte-americano registrem grandes nevascas. Observe na animação abaixo da anomalia de temperatura em elevadas altitudes (nível de 10 milibares) como se forma um enorme bloqueio em altas latitudes com intenso aquecimento do Ártico.


Este padrão de bloqueio está fortemente associado ao comportamento da Oscilação do Ártico (AO) que altera o padrão de circulação da atmosfera no Hemisfério Norte, mudando o posicionamento das correntes de jato e das tempestades. Veja como a AO despencou em dezembro, quando atingiu os menores valores diários em 50 anos, e como voltou a desabar agora no início de fevereiro. No fim de dezembro e início de janeiro, houve grandes nevascas nos Estados Unidos, que chegaram ao Sul do país, sendo Washington duramente atingida na ocasião, padrão que se repetiu na Ásia e na Europa Ocidental. Agora, como a nova queda acentuada da Oscilação do Ártico, grandes nevascas voltam a atingir os Estados Unidos, sendo duas históricas na capital americana em poucos dias.


Com o El Niño, há uma tendência maior das tempestades avançarem pelo Sul americano em direção ao Nordeste do país, ou seja, aumenta a instabilidade nestas regiões. Com a Oscilação Ártica muito negativa, a trajetória de ingresso de ar frio se altera e há uma invasão significativa de ar gelado no Nordeste dos Estados Unidos. Mais frio, mais instabilidade, mais neve.

A Oscilação do Ártico tem enorme impacto na temperatura da área continental dos Estados Unidos. Observe o gráfico abaixo com a correlação entre o comportamento da AO e da temperatura média no território norte-americano e atente como a evolução da oscilação acaba ditando o comportamento da temperatura. Valores tão negativos da Oscilação do Ártico como observados em dezembro de 2009 somente tinham sido anotados antes em janeiro de 1977.

Como se disse, muda a trajetória das tempestades de inverno e do ingresso do ar frio sob condições de AO negativa, o que leva mais frio e neve para a região mais populosa dos Estados Unidos (Nordeste do país) Europa Ocidental e partes da Ásia. Nestas regiões, estão os maiores centros populacionais do mundo, as sedes das grandes empresas mundiais de comunicação, o coração da opinião publica global. Isso pode levar à falsa idéia que o Hemisfério Norte todo congela, mas não. O mesmo padrão que favorece o resfriamento mais ao Sul, proporciona, com o bloqueio em elevada altitude, aquecimento excepcional das altas latitudes, ou seja, a região polar. Veja o mapa com as anomalias de temperatura de janeiro e note que enquanto a área continental dos Estados Unidos tinha temperatura muito abaixo da média, o Ártico amargava marcas muito superiores às normalmente observadas.


Este padrão de circulação teve importante contribuição, somando-se ao El Niño que atingiu o seu ápice no final de dezembro, para que este janeiro de 2010 fosse o mais quente no planeta desde o início das medições por satélite em 1979, independente do frio extremo observado nos Estados Unidos, maioria dos países da Europa e parte da Ásia.

Note na imagem acima de temperatura global no mês de janeiro, produzida empresa pela RSS, como as anomalias de temperatura foram extraordinárias mais altas que o normal nas altas latitudes do Hemisfério Norte, acompanhando a mudança no padrão de circulação atmosférica que, por mais paradoxal que possa parecer, acabou por gerar o frio extremo nas áreas mais densamente povoadas do mundo. Letras Amarelas-créditos: Alexandre Aguiar.

Como podemos observar, fenômenos naturais, que já aconteceram no passado e voltarão a acontecer no futuro, invernos muito frios, verões muito quentes, se fosse ao contrario.....

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Imortalidade

A revista SUPERINTERESSANTE causou muita polemica em sua edição de fevereiro, onde em sua capa publicou a foto de um rapaz com a seguinte afirmação: "Ele pode ser imortal".



A matéria sugere que os cientistas estão preparando um arsenal de drogas para que nos próximos 50 anos possamos não só viver indefinidamente, como também manter a aparência jovem.

Se eu acho isso possível?

Se levarmos em consideração que a expectativa de vida aumentou muito nas últimas décadas, como mostra o ranking abaixo:

01. Japão – 82,6 anos
02. Hong Kong (R.P.China) – 82,2 anos
03. Islândia – 81,8 anos
04. Suiça – 81,7 anos
05. Austrália – 81,2 anos
06. Espanha – 80,9 anos
07. Suécia – 80,9
08. Israel – 80,7 anos
09. Macau (R.P.China) – 80,7 anos
10. França – 80,7 anos
.
.
92. Brasil – 72,4 anos

No Brasil por exemplo, a 4 décadas, dificilmente um homem chegaria aos 60 anos de idade, logo considerando que a expectativa de vida aumenta ano a ano, acho que logo viveremos mais de 130 anos com qualidade de vida.

Mas sinceramente acho que a manchete da referida revista é sensacionalista e impossível para os próximos 50 anos, as razoes que me fazem pensar assim são várias.

Por exemplo, ainda estamos longe da cura do câncer, apesar dos avanços nos tratamentos, ainda é alta a taxa de mortalidade por essa doença.

Os vírus estão continuamente sofrendo mutações que driblam os remédios, a mutação do vírus influenza se transformando na Gripe A no ano que passou, causou vários óbitos no planeta.

O envelhecimento das células e em consequencia dos tecidos do corpo é um processo irreversível que pode ser adiado, mas detê-lo por completo em minha opinião não é tarefa para os próximos 50 anos, apesar de reconhecer que os avanços se dão em progressão geométrica.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Calor e Futebol



O juiz do trabalho Rafael da Silva Marques tomou uma decisão, no qual determina que aqui no Rio Grande do Sul só se pode jogar futebol após as 18h, isso se a temperatura não for superior a 30º, neste caso o jogo terá que ser transferido para as 19:30h.






O responsável pela medição da temperatura, pasmem, é o juiz. Quer dizer, estádio lotado 18h, o juiz puxa um termômetro do bolso e comunica a torcida que o jogo foi adiado para as 19:30h.

Espero que essa palhaçada seja revogada logo.

Por vários motivos:

- Nós as vezes, mesmo já passados dos 40, jogamos futebol na praia, com altas temperaturas e sobrevivemos para tomar uma brahma após o jogo. Imaginem atletas preparados, com nutricionista e toda preparação física e médica possível. Só o fato de serem atletas já prevê esforços acima de uma pessoa normal, se não podem jogar com altas temperaturas, devem, quem sabe trabalhar numa obra ou se dedicar a micro cirurgia cerebral, talvez.

- Ter um ataque cardíaco? Que eu saiba o frio é mais perigoso que o calor, podemos ter um ataque fazendo sexo, ou talvez se dirigindo a igreja para casar, como ocorreu essa semana em Santa Maria com um jovem de 30 anos.

- Esse juiz, se está tão preocupado com os coitadinhos dos atletas, deveria também proibir os operários de trabalharem em obras com mais de 35º ou antes das 18h, os trabalhadores que asfaltam ruas, trabalham em frente a fornos de fundição com mais de 1000º, na roça capinando de baixo do sol. Vamos parar de frescura.

- E o campeonato da segunda divisão, que já foi suspenso devido a esta determinação, pois quase nenhum estádio tem iluminação. Se os clubes quebrarem, os jogadores não vão morrer de calor, mas os filhos deles vão morrer de fome.

- Olimpíadas como as dos Estados Unidos, que ocorreram em Los Angeles a 40º deverão ser suspensas e todas as medalhas devolvidas, inclusive a taça do Tetra que ganhamos a 40º nos EUA em 94.

- Além disso, quem não sabe que o calorão da semana passada foi um fato isolado, que não deverá se repetir tão cedo. Ai ficam proibidos os jogos antes das 18h, quebrando uma tradição do futebol de domingo a tarde.

- Na Bahia o campeonato é patrocinado pela rede Record que exige que os jogos sejam as 16h e até agora ninguém morreu e os Baianos é que são considerados preguiçosos e nós somos os machos. Bom, deve ser porque na Bahia é bem mais frio do que aqui.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Enquanto isso no hemisfério norte...


O inverno continua muito rigoroso no Hemisfério Norte, temperaturas baixíssimas, inclusive recordes em lugares como China, Estado Unidos e alguns países europeus.

Nosso inverno também foi muito rigoroso no ano que passou e se as tendências se repetirem, sendo o inverno do Hemisfério Norte uma referência para sabermos como será o nosso, devemos nos preparar.

Tudo em seu lugar, invernos frios, verões quentes.

Nossa parte é cuidar dos rios, do desmatamento, do saneamento básico, de todo meio ambiente, enfim...

Para que os efeitos do clima não sejam tão sentidos como ultimamente.

Independente de CO2, o mundo vai continuar esquentando ou esfriando, vai continuar chovendo em grande quantidade em alguns locais, secas em outros. Tornados um aqui outro acolá.

Zelando pelo meio ambiente, cuidando para não construir em lugar de risco, os efeitos serão menores, para tristeza dos meios de comunicação que se dedicam a caçar tragédias, fazer sensacionalismo e ganhar muito dinheiro com isso.




Terra:

Estados Unidos - 17h30 - Homem esquia na avenida Pennsylvania, em frente à Casa Branca, em Washington, onde o acúmulo de neve pode chegar a 75 cm antes de a tempestade deixar a região, dizem meteorologistas. A forte nevasca que atinge parte do país fechou aeroportos, impediu o tráfego de veículos e levou Estados a declararem situação de emergência. A tormenta recebeu apelidos como Snowpocalypse e Sem luz e voos, Washington enfrenta nevasca histórica.




Zero Hora:

Pelo menos dois mortos, 215 mil pessoas sem eletricidade e a suspensão total dos voos são algumas das consequências da forte nevasca que atinge hoje Washington e seus arredores, batizada pelo próprio presidente Barack Obama como "Snowmaggedon". As autoridades declararam situação de emergência na capital e nos estados de Virgínia, Maryland, Delaware e Virgínia Ocidental. Segundo o prefeito de Washington, Adrian Fenty, os serviços de emergência estão totalmente mobilizados para enfrentar a tempestade. "(A nevasca) está trazendo uma quantidade de neve como nenhum de nós tinha visto aqui na vida", comentou. O governador de Maryland, Martin O'Malley, declarou ao diário The Washington Post que "será a maior tempestade de neve da história do estado". Em tom de brincadeira, Obama chamou o fenômeno de "Snowmageddon" (armagedon de neve), em alusão à batalha que, segundo a Bíblia, marcará o fim dos tempos.



quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

O desmaio do Batista - Ao Vivo



Eu estava acompanhando o início do jogo do Grêmio (para dar uma secadinha, como bom colorado), quando presenciei uma cena inusitada.
Batista, ídolo de toda torcida colorada, ele foi meio-campista daquele grande time do inter da década de 70, talvez o melhor time de futebol que já jogar, Bi-campeão brasileiro em 75 e 76, e tri em 79.
Atualmente ele é comentarista de futebol.
Durante seu comentário antes do começo do jogo, ele simplesmente desabou durante em frente as cameras, ao vivo.

Sob um calor de 40ºC ele comentava o jogo marcado para as 17h, um absurdo praticar futebol durante esse horário no verão, para satisfazer a televisão.



Batista


Fiquei pensando se seria um desmaio ou até um AVC, mas para tranquilidade de todos a primeira hipótese se concretizou.


Achei importante postar sobre esse assunto porque foi constatado que o desmaio ocorreu por desidratação. Em dias com altas temperaturas suamos demais, temos que tomar muita água, para repor esse liquido perdido. Refrigerante não substitui a água, o próprio Batista revelou em entrevista para a Rádio Gaúcha na manhã de hoje, um dia após o incidente: que havia substituído a água pelo refrigerante e que não ia cometer esse erro novamente.


Que o fato sirva de alerta para todos nós. Beba mais água em dias quentes e evite atividade física sob intenso calor.


Assista o vídeo:


video

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Madrugada de calor Recorde na Grande Porto Alegre


Já haviam sido registradas temperaturas muito altas, na madrugada, em Fevereiro, no passado, mas como estas ainda não.

Como a ciência procura explicar tudo, vamos a essa explicação:

Ocorre o seguinte, com o aumento progressivo das grandes cidades, aumentam também as ruas asfaltadas, prédios... muito ferro e cimento. O calor que chega durante o dia é absorvido por esses materiais, e a noite tem dificuldade de dissipar para a atmosfera, esse fenômeno é chamado ilha de calor.


Em locais que ainda permanecem com áreas rurais próximos a Grande Porto Alegre, foram registradas temperaturas na madrugada em torno de 7º mais baixas.

Veja reportagem do Metroclima - Correio do Povo

Houve pontos de Porto Alegre em que a temperatura não baixou de 29ºC na madrugada desta quarta-feira. As mínimas registradas pelas estações da MetSul e do Sistema Metroclima foram de 25,0ºC na Lomba do Pinheiro (zona rural); 26,8ºC na Avenida Sertório; 28,1ºC no Moinhos de Vento; e 28,7ºC no Menino Deus. Na estação do bairro Menino Deus, a temperatura somente baixou da casa de 30ºC para 29,9ºC às 4h54m da madrugada. No primeiro minuto do dia, fazia 30,8ºC no Menino Deus; 30,6ºC na Sertório (zona Norte); 30,4ºC no Moinhos de Vento; e 26,7ºC na Lomba do Pinheiro (zona Leste). No Centro da Capital, digitais de rua chegavam a marcar 34ºC nos primeiros minutos do dia na Rua da Praia (Andradas).
O calor muito mais forte no Centro e nos bairros próximos à noite deve-se a um fenômeno conhecido como Ilha de Calor Urbano (UHI na sigla em Inglês). A grande concentração de prédios, construções, asfalto e concreto faz que o Centro da Capital e áreas adjacentes retenham maior calor do dia, tornando as noites mais quentes do que regiões afastadas, sobretudo rurais, onde a temperatura cais mais acentuadamente por não sofrer o efeito da urbanização. Bairros em Porto Alegre como a Lomba do Pinheiro e Belém Novo são muito mais frios à noite do que o Centro justamente em razão das diferenças de urbanização. (Alexandre Aguiar / MetSul Meteorologia com foto de Ricardo Giusti/Correio do Povo)

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Calor no RS



Nenhum calor pode ser pior que o calor aqui no Rio Grande do Sul. 30ºC aqui tem a sensação de abafamento pior do que 40ºC no Rio de Janeiro.


Ainda mais com essa umidade toda que está sobre o estado, fruto da temporada de chuvas que tivemos no primeira quinzena.


As temperaturas tem chegado aos 36º durante o dia na Grande Porto Alegre e 29º durante a madrugada.






ZH Meteorologia: Por que os gaúchos estão sofrendo com o calor


Os gaúchos viveram ontem mais um dia de extremos proporcionados pelo fenômeno El Niño. Uma gigantesca massa de ar quente sobre o Estado mais uma vez dificultou o avanço de frentes frias. O resultado: alta temperatura e umidade elevada. A combinação que ampliou a sensação térmica foi sentida na forma de um abafamento que torna difícil até mesmo dormir. Alguns pontos do Rio Grande do Sul foram beneficiados pelo alívio de chuvas isoladas. Depois de meses de intensos temporais, agora é o abafamento que castiga os gaúchos. Ontem foi o quarto dia seguido de sensação térmica superior a 40°C em boa parte do Estado – fenômeno que deverá se manter pelo menos até o final da semana. A presença de uma forte massa de ar quente sobre o Estado forma o chamado bloqueio atmosférico, que dificulta a passagem de frentes frias e favorece a continuidade de temperatura e umidade elevadas. Podem ocorrer, porém, temporais localizados. Ontem à tarde, os termômetros chegaram a 37,3°C em Campo Bom e estabeleceram o recorde de calor do verão na temporada 2009/2010. Somente em 2 de novembro do ano passado a temperatura foi maior, chegando aos 38°C. O calorão que faz os gaúchos suarem em abundância, porém, não se explica apenas pela medida do termômetro. A sensação de estar em uma espécie de panela de pressão atmosférica é reforçada pela umidade mais intensa do que o normal vinda da Amazônia para o sul do Brasil.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Verão perfeito no RS (para quem está na praia)


O verão este ano está perfeito no litoral gaúcho, ao contrário dos últimos 03 anos que "não deu praia", como se diz, pois as temperaturas foram baixas para época e a água do mar estava extremamente gelada.

Esta ano as temperaturas estão muito altas, a água com uma temperatura excelente para o banho e nem o vento nordestão, que atrapalha tanto os banhistas, tem dado as caras.


E para completar o mar está claro, na maioria dos dias. Digo isso, por que o mar aqui no RS é todo ele aberto, sem baías ou enseadas, este fator, somado a presença de algas marrons, tornam a água escura com aspecto achocolatado. Mas, apesar disso, as águas são limpas e livres de poluição, pois segundo a última inspeção da FEPAM, apenas a foz do rio Mampituba em torres não foi considerada própria para banho.







As pessoas são engraçadas.

Ano passado com a água do mar muito gelada, não faltaram comentários, como: "Esta água está assim por causa do aquecimento global, as geleiras estão derretendo por isso essa água tão gelada".



Este ano com águas mais quentes, dizem: "O aquecimento global está esquentando as águas do oceano".



O problema tem sido arrumar um lugar a beira mar com tranquilidade ou um lugarzinho para arremessar minha linha de pesca aqui em Tramandaí e Imbé, onde estou.

Em SP, choveu muito em Janeiro, mas não bateu recorde




Notícia publicada neste domingo no site BOL:


31/01/2010 - 23h29
Janeiro fica a 0,1 mm do recorde de mês mais chuvoso da história em SP


A chuva que caiu sobre a cidade de São Paulo neste domingo derrubou 17 árvores, trouxe granizo e deixou janeiro a 0,1 mm (cada milímetro equivale a um litro de água por metro quadrado) do recorde de mês mais chuvoso da história, segundo informações do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Com os 8 mm de água que caíram hoje, o acumulado de chuva no mês, até as 22h, ficou em 481,3 mm, quantidade um décimo de milímetro menor do que os 481,4 mm de janeiro de 1947.
Como podemos observar, em janeiro de 1947 choveu mais do que no mesmo mês de 2010. Quero dizer com isso que o clima é cíclico, o El Ninho este ano está muito rigoroso.
O homem nada tem a ver com isso, mas claro que tem a ver com as consequencias: Rios assoreados, bueiros entupidos de lixo, casas construídas em locais de risco, desmatamento, tudo isso aumenta a proporção das tragédias provocadas pelo clima.
Ou será que em 1947 São Paulo produzia mais CO2 que hoje.