terça-feira, 15 de abril de 2014

Eclipse da Lua - Entenda o fenômeno




Tudo relacionado aos fenômenos meteorológicos e astronômicos me interessa. Postei meu telescópio na sacada e curti as bonitas imagens proporcionadas pelo eclipse lunar.




Às 3h desta terça-feira os primeiros sinais do eclipse total começaram a despontar no céu de Imbé-RS. O fenômeno, também chamado de Lua vermelha ou Lua sangrenta, durou em torno de 78 minutos.

O ponto alto do fenômeno ocorreu às 4h46min. A última vez que a Lua ficou totalmente na sombra da Terra em relação ao Sol ocorreu em 10 de dezembro de 2011.
A foto acima é do site da Zero Hora. Abaixo, com bem menos qualidade, são minhas.


Entenda o Eclipse:

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Após Terremoto no Chile, luzes são vistas no céu.


Ontem vi um tweet da Metsul, relatando que o povo da localidade mais atingida pelo terremoto havia narrado a aparição de luzes no céu após o cismo. O Tweet me chamou a atenção, eu nunca tinha lido nada nesse sentido.



Esse fato já teria ocorrido em outros terremotos de grande magnitude como este.

A própria Metsul indicou a leitura de um estudo que procura explicar o fenômeno, vou repassar aqui.

Talvez notem algum erro de concordância, pois o site foi traduzido pelo aplicativo do Google.



Os cientistas demonstraram recentemente que luzes estranhas, tais como aqueles descritos como "orbes brilhantes," de fato apareceu diante de grandes terremotos, por exemplo, no Japão e L'Aquila , na Itália. Mas como?
Cientistas americanos propõem uma nova teoria: Mudando camadas de solo poderia criar enormes cargas eletrostáticas que viajam para a superfície, dando luz.
"Demos um recipiente tupperware cheio de farinha, derrubado frente e para trás até que rachaduras apareceram, e produziu 200 volts de carga", disse o pesquisador da Universidade Rutgers Troy Shinbrot. "Não existe um mecanismo que eu sei que pode explicar isso. Parece ser nova física". Eles repetiram o experimento com outros materiais granulares (como as de solo) e obteve os mesmos resultados. Shinbrot explicou em um e-mail que, embora ele produziu tensões elevadas, não havia "nenhuma corrente para falar, por isso não há poder de ser obtido."
Os dados que mostram a produção de cargas tem sido demonstrado por laboratórios em Rutgers, NC State e Penn State, disse Shinbrot Popular Science . Mas se é ou não produz luzes do terremoto é ainda incerto. A equipe, que inclui pesquisadores das três escolas, apresentaram suas conclusões  na American Physical Society reunião em Denver.
Existem várias outras teorias sobre o que cria essas luzes.  Em 2003, o pesquisadorFriedemann Freund propôs que as luzes foram produzidos por campos elétricos desencadeados pelo esmagamento e torção de pedras. Outra teoria proposta em 1982 sugere que as luzes podem ser criados por meio de aquecimento por fricção em falhas. Um artigo recente no sismológicos Research Letters  constatou que  63 dos 65 vezes maior do que luzes do terremoto foram relatados nos últimos dois séculos, as falhas verticais causou os tremores.Isso pode ajudar a explicar todas as teorias, dependendo de como se interpreta, mas sugere que este alinhamento promove luzes pré-terremoto, o que pode potencialmente ser usado algum dia como um sistema de alerta precoce. 
BBC ]

Fonte : BBC

terça-feira, 1 de abril de 2014

Terra Primitiva - pelos alunos

Minha experiência em sala de aula me convenceu que os desenhos devem ser  uma presença constante nas aulas de Biologia, pois além de agradarem o aluno, atingem um setor da memória que o texto ou a explicação da aula expositiva não conseguem atingir.

Conceituamos a terra primitiva, os gases que a formavam, bem como sua geologia, após pedi para colocarem no papel o seu imaginário sobre o que aprenderam.

Os alunos são da Escola Divina providência - Capão da Canoa-RS

Samara - 122
Laura Fank - 121

Marina - 121



laurinha - 121
Lucas Macedo - 121


Cláudia - 122

Amanda Blank - 122
Não há como ensinar origem da vida sem conceituar terra primitiva.