sábado, 21 de outubro de 2017

Uma chuva de meteoros Orionídeos poderá ser vista a olho nu neste fim de semana, a partir de hoje (20) e com pico na madrugada de domingo (22). De acordo com a Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), os Orionídeos são formados por poeira e gelo que o cometa Halley deixa para trás em sua órbita.


No Brasil, o fenômeno poderá ser visto em todo o país. Durante o pico da chuva, poderão ser vistos entre 20 e 25 meteoros por hora. A recomendação é que a observação seja feita em locais com pouca luz artificial, como áreas rurais e isoladas.


Veja o vídeo e inscreva-se em nosso canal:



quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Tempestade de Areia Impresesionante em Campo Verde - MT



Moradores registraram o momento em que um redemoinho de vento encobriu uma fazenda, na zona rural de Campo Verde, a 139 km de Cuiabá. O fenômeno ocorreu na segunda-feira (16) e assustou os moradores que estavam na propriedade. Segundo eles, o redemoinho não causou muitos estragos, mas surpreendeu pela forma que cobriu o céu, pois em poucos minutos o dia virou noite.
De acordo com a diretora do 9º Distrito de Meteorologia, Marina Padilha, se trata de um redemoinho de vento. “Ele se forma quando está muito quente, o céu geralmente claro e baixa umidade do ar. O vento pode chegar a 100 km/h”
Assista o Vídeo, inscreva-se em nosso Canal:




Tornado filmado em Rio Cuarto na Argentina - 18.10.2017



O tornado foi resultado de uma tempestade que atingiu o Uruguai e Argentina no dia 18 de outubro de 18 de outubro de 2017 em Rio Cuarto.


Bombeiros voluntários daquela cidade no sul de Córdoba disseram que o fenômeno foi detectado em diferentes partes da cidade e foi registrado em uma área de campos na comuna de Chucul. 





Veja o vídeo, inscreva-se em nosso Canal: 

sábado, 14 de outubro de 2017

Furacão Ophelia sobe para categoria 3 Alerta Vermelho nos Açores

O furacão evoluiu para a categoria 3, mas em relação ao grupo oriental do arquipélago [ilhas de Santa Maria e de São Miguel], podemos dizer que se continua a prever vento médio igual ou superior a 65 quilómetros/hora e rajadas superiores a 100 quilómetros/hora”, afirmou a meteorologista Elsa Vieira, da delegação regional dos Açores do IPMA, à agência Lusa.
Segundo Elsa Vieira, às 15:00 locais (mais uma hora em Lisboa) o furacão Ophelia estava a 355 quilómetros a sul dos Açores.
A aproximação do furacão Ophelia e a passagem de uma superfície frontal fria levou o IPMA a emitir vário avisos meteorológicos para sete ilhas dos Açores.
Em São Miguel e Santa Maria, o aviso vermelho para precipitação forte vigora entre as 18:00 e as 24:00 de hoje. Este é antecedido de um aviso laranja também para chuva que está em vigor até às 18:00.
Estas duas ilhas mantêm-se sob aviso laranja para vento (até às 06:00 de domingo) e amarelo para agitação marítima no mesmo período, e, ainda, de trovoada ao longo da tarde e noite de hoje.
No grupo central, ilhas do Faial, Pico, Graciosa, Terceira e São Jorge, o aviso vermelho mantém-se até às 18:00. Há ainda aviso amarelo para trovoada que termina também à mesma hora.
O aviso vermelho é o mais grave de uma escala de quatro e representa uma situação meteorológica de risco extremo.

Veja o vídeo em nosso canal e no segundo vídeo a agitação maritima filmada por um colaborador, direto dos açores. Inscreva-se:





sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Furacão Ophelia é elevedo para categoria 2 e segue em direção aos Açores em Portugal

O Furacão Ophelia subiu nas últimas horas para categoria 2. Com ventos na ordem dos 150 quilometros por hora deverá atingir as ilhas de Santa Maria e São Miguel a partir da tarde de sábado.

O furacão Ophelia estava a 1.150 quilometros a sudoeste dos Açores às 22 horas (hora de Lisboa) e apesar de estar estacionário deverá voltar nas próximas horas a deslocar-se para oeste/nordeste em direção às ilhas do grupo oriental do arquipélago dos Açores.
 
O furação passou para categoria 2 – numa escala que vai até 5 – com ventos a soprar na ordem dos 150 quilómetros por hora, rajadas que podem chegar aos 185 Km/h e ondulação que pode atingir os seis metros de altura. 

Veja o vídeo com as rotas do furacão atualizadas e se inscreva em nosso canal para se manter atualizado em tudo que acontece no clima do nosso planeta:


quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Furacão Ophelia se dirige para Portugal

A tempestade tropical Ophelia ganhou força nesta quarta-feira (11) e se transformou no décimo furacão da atual temporada no Atlântico, após atingir ventos máximos sustentados de 120 km/h, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (CNH).
O furacão de categoria 1 está se movendo a 6km/h. Na trajetória prevista até então, o Ofelia deve atingir neste fim de semana os arquipélagos portugueses de Açores e Madeira.
O fortalecimento do Ophelia também representa um marco histórico. Há mais de um século uma temporada do Atlântico não tinha o registro de dez furacões 

Veja o video: inscreva se em nosso canal.


Raio Ascendente raro é filmado no Paraná (Belo Vídeo)


A caçadora de Tempestades Fernanda Trento, é Paranaense e nos contemplou com essas belas Imagens que fez durante tempestade.

Sobre os Raios ascendentes: (Fonte: INPE)

Esses raios são considerados artificiais, porque dependem de construções humanas para ocorrer. “Eles acontecem em locais altos com alguma estrutura metálica”, explica o físico Marcelo Saba, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.
Quando uma nuvem passa por um lugar assim, atrai as cargas elétricas do solo. Nesse momento, a estrutura metálica, que pode ser uma torre de transmissão de sinal de TV ou um arranha-céu, por exemplo, funciona como uma espécie de canal para toda a carga elétrica ir do solo até o céu e… Cabruuuuum! Acontece um raio ascendente.
Esses raios são bem raros – apenas 1% dos raios sobem em vez de descer – e poucos países conseguiram registrar imagens desse fenômeno. O Brasil é um deles. Os raios ascendentes foram registrados no Pico do Jaraguá, na cidade de São Paulo, num dia em que aconteceram três deles em apenas seis minutos – um número considerado muito alto. “Dificilmente veremos um prédio sendo atingido por um raio descendente mais de três vezes num período de dez anos”. 

Veja o vídeo feito por Fernanda Trento: Increva-se em nosso canal