sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Destiladores com Material Reciclado

Com os alunos do 3º Ano do Ensino Médio da Escola 9 de Maio em Imbé-RS, fiz o seguinte projeto:

A proposta é que os alunos façam em grupos destiladores projetados e construídos com material de sucata.
Os materiais utilizados foram de livre escolha, bem como as substâncias que serão destiladas.

Os resultados estão sendo acima do esperado:


O destilador acima foi feito com uma panela de pressão adaptada com uma borracha acoplada ao bico de saída do vapor, o cano de cobre daria conta da condensação. Houve um vazamento de vapor na vedação da tampa, vamos repetir esse projeto e tentar corrigi-lo, pois a ideia é ótima.



Este destilador foi feito com uma cafeteira antiga, uma borracha foi adaptada na saída do vapor, ótima ideia, mas houve vazamento na borracha, vamos repeti-lo.





Este destilador foi feito com um Erlenmeyer a vedação foi feita com uma borracha de balão, entrando a mangueira pelo espaço onde se assopra para enchê-lo, o condensador foi feito com uma garrafa pet, com gelo. A substância destilada foi vinho, a experiência foi um sucesso, obtivemos álcool puro e água separados do vinho.



Estes alunos fizeram o mesmo destilador, porém foi destilada água+sal. A água foi separada integralmente e o sal ficou no Erlenmeyer, um sucesso também a experiência.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Exploração do Cometa

A hipótese mais aceita pela biologia sobre a origem da vida é a Hipótese Heterotrófica, segundo essa teoria, a vida teria se originado de uma série de reações químicas, até a formação da molécula de DNA. Os primeiros seres teriam sido Heterótrofos fermentadores, mas há quem ache que os primeiros organismos poderiam ter vindo do espaço, de carona em um corpo celeste, como cometas ou meteoros.

67P/ Churyumov-Gerasimenko
Um marco espetacular na era espacial. A sonda europeia Rosetta entrou nesta quarta-feira na órbita de um cometa, depois de ter passado quase uma década no seu encalço. A nave se aproximou do 67P/ Churyumov-Gerasimenko para investigar a estrutura e composição do astro. “Depois de 10 anos, 5 meses e 4 dias viajando até nosso destino, após cinco voltas ao Sol numa viagem de 6,4 bilhões de quilômetros, estamos felizes em anunciar que finalmente chegamos”, disse o diretor-geral da Agência Espacial Européia (ESA)  Jean-Jacque Dordain. Os onze instrumentos da Rosetta devem observar o cometa por mais de um ano, buscando indícios da presença de água, carbono e outros elementos fundamentais para a vida. Uma das teorias entre pesquisadores é que a vida aqui na Terra possa ter surgido a partir de elementos orgânicos trazidos por corpos celestes.


Até hoje, cientistas foram capazes apenas de fazer sondas cruzarem o caminho de cometas, possibilitando apenas observações fugazes. Agora uma nave montada pelo homem está viajando lado a lado de um. As dificuldades técnicas de seguir na órbita ao redor do 67P são consideráveis. O cometa viaja a 55 mil km/h. Para entrar na sua órbita, a nave precisa estar em frente a uma velocidade diferente apenas 3,6 km/h menor, permitindo a aproximação até ficarem lado a lado. O feito é inédito e dificultado pelo fato de os sinais de rádio enviados da Terra para comandar a sonda levarem mais de 22 minutos para serem recebidos devido à distância de 550 milhões de quilômetros da Terra. No primeiro dia da sua órbita, Rosetta começou a enviar imagens fantásticas em alta resolução da superfície do cometa, mostrando crateras e desfiladeiros.

A missão Rosetta, batizada em homenagem à pedra que possibilitou a tradução dos hieróglifos egípcios, foi planejada na década de 90. A sonda foi lançada em março de 2004 e utilizou a gravidade da Terra e de Marte para ganhar impulso. A sonda foi desligada (modo de hibernação) por 31 meses a partir de 2012 e somente foi reativada em 1º de janeiro deste ano a fim de economizar energia. A missão vai ficar ainda mais incrível em novembro, quando Rosetta se aproximar ainda mais do cometa. O controle da missão vai tentar pousar o módulo Philae da sonda na superfície do cometa. Para isso serão usados “arpões” como âncoras. Uma vez na superfície, Philae realizará uma série de experimentos, inclusive perfurações nas rochas.

Fonte: Metsul

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Jean Baptiste Lamarck

Muitos professores se referem a Lamarck como o ''cara que errou'', pois em sua teoria, lei do uso e desuso, coloca que um orgão que fosse muito usado se desenvolve, enquanto um outro que não fosse iria atrofiar, sendo essas característica transmitidas aos seus descendentes, modificando a fisiologia das espécies com o passar do tempo.

O francês Jean-Baptiste Lamarck (1744-1829), foi um importante personagem na história da ciência. Sua contribuição para o desenvolvimento do que conhecemos hoje como teoria da evolução é bem divulgada, mas alguns autores, ao tentar resumir as ideias desse naturalista, omitem algumas informações e distorcem outras, criando assim ‘boatos’ sobre seu verdadeiro papel.

Os dois maiores boatos criados a respeito de Lamarck são: 1. suas ideias evolutivas se resumiam a duas leis, e 2. o inglês Charles Darwin (1809-1882), um dos autores da moderna teoria da evolução, se opôs a essas leis.

Assim, diante da pergunta “Quem foi Lamarck?”, um aluno de ensino médio pode responder “Foi o cara do pescoço da girafa”, ou até “Foi o cara que dizia o contrário de Darwin”. Essas respostas, e outras com conteúdo semelhante, permanecem vivas não apenas na boca dos alunos, mas também na de certos professores e no texto de alguns livros didáticos.


quarta-feira, 21 de maio de 2014

Aditivos nos Alimentos - Trabalho em Sala de Aula


Na ideia de diversificar as aulas, usar o conteúdo da  disciplina para a utilização no cotidiano do aluno, pensei que poderíamos pesquisar sobre os aditivos químicos colocados nos alimentos, principalmente os consumidos por eles como: Salgadinhos, iogurtes, refrigerantes, sucos em pó etc.




Pedi para os alunos trazerem rótulos desses alimentos para sala de aula.
Eles recortaram as marcas e as informações sobre sua composição química, depois citaram esses componentes.




Isso abriu seus olhos quanto as quantidades de aditivos que levam tais produtos.


O resultado foi plenamente atingido, eles se divertiram, aprenderam e ainda por cima se conscientizaram que devem reorganizar sua dieta, afim de melhorar a qualidade da sua alimentação.

Os alunos são da turma 222 da escola Divina Providência, mas a atividade pode ser feita também com alunos do ensino fundamental.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Dunas

Hoje, ao caminhar pelas dunas no intervalo do almoço, pude notar a presença de animais e vegetais que ali habitam. A maioria das pessoas só vê as dunas como montes de areia.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Eclipse da Lua - Entenda o fenômeno




Tudo relacionado aos fenômenos meteorológicos e astronômicos me interessa. Postei meu telescópio na sacada e curti as bonitas imagens proporcionadas pelo eclipse lunar.




Às 3h desta terça-feira os primeiros sinais do eclipse total começaram a despontar no céu de Imbé-RS. O fenômeno, também chamado de Lua vermelha ou Lua sangrenta, durou em torno de 78 minutos.

O ponto alto do fenômeno ocorreu às 4h46min. A última vez que a Lua ficou totalmente na sombra da Terra em relação ao Sol ocorreu em 10 de dezembro de 2011.
A foto acima é do site da Zero Hora. Abaixo, com bem menos qualidade, são minhas.


Entenda o Eclipse:

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Após Terremoto no Chile, luzes são vistas no céu.


Ontem vi um tweet da Metsul, relatando que o povo da localidade mais atingida pelo terremoto havia narrado a aparição de luzes no céu após o cismo. O Tweet me chamou a atenção, eu nunca tinha lido nada nesse sentido.



Esse fato já teria ocorrido em outros terremotos de grande magnitude como este.

A própria Metsul indicou a leitura de um estudo que procura explicar o fenômeno, vou repassar aqui.

Talvez notem algum erro de concordância, pois o site foi traduzido pelo aplicativo do Google.



Os cientistas demonstraram recentemente que luzes estranhas, tais como aqueles descritos como "orbes brilhantes," de fato apareceu diante de grandes terremotos, por exemplo, no Japão e L'Aquila , na Itália. Mas como?
Cientistas americanos propõem uma nova teoria: Mudando camadas de solo poderia criar enormes cargas eletrostáticas que viajam para a superfície, dando luz.
"Demos um recipiente tupperware cheio de farinha, derrubado frente e para trás até que rachaduras apareceram, e produziu 200 volts de carga", disse o pesquisador da Universidade Rutgers Troy Shinbrot. "Não existe um mecanismo que eu sei que pode explicar isso. Parece ser nova física". Eles repetiram o experimento com outros materiais granulares (como as de solo) e obteve os mesmos resultados. Shinbrot explicou em um e-mail que, embora ele produziu tensões elevadas, não havia "nenhuma corrente para falar, por isso não há poder de ser obtido."
Os dados que mostram a produção de cargas tem sido demonstrado por laboratórios em Rutgers, NC State e Penn State, disse Shinbrot Popular Science . Mas se é ou não produz luzes do terremoto é ainda incerto. A equipe, que inclui pesquisadores das três escolas, apresentaram suas conclusões  na American Physical Society reunião em Denver.
Existem várias outras teorias sobre o que cria essas luzes.  Em 2003, o pesquisadorFriedemann Freund propôs que as luzes foram produzidos por campos elétricos desencadeados pelo esmagamento e torção de pedras. Outra teoria proposta em 1982 sugere que as luzes podem ser criados por meio de aquecimento por fricção em falhas. Um artigo recente no sismológicos Research Letters  constatou que  63 dos 65 vezes maior do que luzes do terremoto foram relatados nos últimos dois séculos, as falhas verticais causou os tremores.Isso pode ajudar a explicar todas as teorias, dependendo de como se interpreta, mas sugere que este alinhamento promove luzes pré-terremoto, o que pode potencialmente ser usado algum dia como um sistema de alerta precoce. 
BBC ]

Fonte : BBC