sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

FÉRIAS


Amigos,


Nestes cinco meses que estou escrevendo neste espaço tenho postado com frequência sobre assuntos de interesse cientifico, sempre defendendo minhas convicções, que se formaram através de estudo, de forma independente, sem se deixar levar pelas conclusões prontas da mídia, procurando ver todos os ângulos dos temas aqui levantados.


2009 foi um ano agitado, prestei serviços a Fundação de Meio Ambiente de Gravataí, até julho. A partir de agosto comecei a dar aulas e ministrei um curso sobre Reciclagem de Resíduos Sólidos, uma ótima experiência.


Durante este ano ainda sobrou tempo para fazer um curso de Educação Ambiental, um outro de Reciclagem de Resíduos Sólidos e Energias Renováveis e mais um curso de Formação de Eco educadores.


Agora no pequeno intervalo de tempo entre o Natal e o dia 04 de Janeiro tirarei umas férias, vou acampar em contato com a natureza em local distante de qualquer centro urbano, onde não há sinal de celular, muito menos internet 3G.


Portanto bom Natal e um ótimo 2010 a todos.


Claro que durante o acampamento estarei ligado em todo o meio ambiente e ecossistema do local e tirarei belas fotos para postar aqui.


Abração.


Beto Orcy

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Decoração de Natal com material reciclado ou lixo

Eu aprovo, claro, que se faça decoração de Natal com materiais recicláveis.

Mas com arte. transformando o lixo em artefatos criativos.

Agora, retirar o lixo da lata e atirar na praça é simplesmente trocar o lixo de lugar.


Não, essa decoração não é de uma cidade no sertão. É em Gravataí, cidade de 250.000 habitantes localizada na grande Porto Alegre.



Está lá no Parcão. Por favor mandem isso para uma indústria de reciclagem.






Se a falta de recursos é tão grave. O preço pago por essas garrafas poderá ajudar no orçamento, na cidade da GM.


Essa eleva o lixo as alturas.

Espero que essas fotos que tirei em 2009, em Gravataí, não se repitam em 2010, a não ser que sejam consideradas obras de arte.








Opa, essa última é a decoração de natal.


segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Em Tempos de Aquecimento Global: 22 morrem de frio na Europa

Nevascas deixam pelo menos 22 mortos na Europa



As tormentas de neve e as temperaturas abaixo de zero castigam a Europa neste início de inverno, causando pelo menos 22 mortes e interrompendo aeroportos. O frio mais devastador atingiu a Polônia, onde 15 pessoas morreram congeladas entre sábado e domingo devido à queda das temperaturas, que registraram 20 graus abaixo de zero. A polícia pediu, neste domingo, que a população polonesa alerte as autoridades quando encontrar indigentes pelas ruas para reduzir o número de mortos pelas baixas temperaturas

Na Áustria, duas pessoas morreram de frio enquanto tentavam retornar para suas casas durante a noite. Ambas foram encontradas na província de Styria, no sul do país. As autoridades francesas da aviação civil cancelaram, na tarde deste domingo, cerca de 40% dos voos que sairiam dos aeroportos Charles de Gaulle e Orly de Paris. Na Grã-Bretanha, o aeroporto de Manchester fechou a pista para a limpeza da neve.

Na Alemanha, as intensas nevascas, acompanhadas de temperaturas que em alguns pontos chegaram a 30 graus abaixo de zero, provocaram colapsos no tráfego aéreo e cinco mortes em acidentes nas estradas. O aeroporto de Düsseldorf fechou completamente durante algumas horas. No aeroporto de Frankfurt, o maior do país, houve vários cancelamentos e atrasos, uma situação que ocorre desde sexta-feira.

Fonte: Zero Hora

domingo, 20 de dezembro de 2009

Frio recorde nos EUA no retorno da conferência do Aquecimento

O Presidente Barack Obama, deixou a conferência sobre o Aquecimento Global em Copenhagen, para ironicamente encontrar Washington sobre a maior Nevasca registrada desde o séc.XIX.
O frio é intenso na Capital dos EUA.


Veja como Obama encontrou Washington








METSUL Atualização (17h49m):


Dados da uma da tarde em Washington, quarto da tarde no horário de Brasília, indicaram que a precipitação de neve no Aeroporto Nacional Reagan, a estação oficial de Washington, já chegava a 30,5 centímetros, igualando o recorde para uma tempestade de neve em dezembro na cidade que era de 17 de dezembro de 1932. Uma hora depois, o registro era de 33 centímetros, estabelecendo um novo recorde. No mesmo horário, a estação do Aeroporto de Dulles, nos arredores da capital americana, registrava 40,6 centímetros. Segue nevando forte em Washington.





Site Terra:


Nevasca atinge Itália e fecha aeroportos no centro do país


As intensas nevascas das últimas horas provocaram o fechamento dos aeroportos italianos de Florença e Bolonha, que reabrirão assim que for retirada a neve das pistas, enquanto ocorrem atrasos nos voos de outros aeroportos do centro do país, castigado pelo mau tempo.
A neve também chegou a Veneza, que está em alerta diante da maré alta, que deve alcançar hoje 1,20 m acima do nível do mar.


O aeroporto de Florença foi fechado no começo da manhã deste sábado devido à forte nevasca que caiu durante a noite e deve voltar a abrir às 14h locais, enquanto também houve problemas no aeroporto de Pisa, onde alguns voos foram desviados para Gênova.


Há cinco anos que não nevava na capital da Toscana, onde se acumulam até 30 cm de neve. A prefeitura de Florença recomendou aos cidadãos que não utilizem carro se não for necessário.
O aeroporto de Bolonha também foi fechado devido ao mau tempo, e a direção informou que voltará a abrir assim que a neve for retirada das pistas e dos aviões. Em Bolonha, por enquanto, segundo nota da direção, 12 voos foram desviados e 18 cancelados.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Copenhaguen: Presidente da Conferência renuncia

Notícia publicada hoje no site Zero Hora.
Mundo 16/12/2009 11h03min

Em meio a entraves e protestos, presidente da Conferência do Clima renuncia

Connie Hedegaard foi acusada por representantes de países em desenvolvimento de querer beneficiar países ricos.

A presidente da 15ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-15), Connie Hedegaard, renunciou hoje. Ela vinha sendo acusada por representantes de países em desenvolvimento de querer beneficiar países ricos nas negociações. Ela será substituída pelo primeiro-ministro da Dinamarca, Lars Lokke Rasmussen. As informações são da BBC Brasil. As razões da renúncia ainda não foram esclarecidas. Hedegaard disse que seria mais apropriado que o encontro fosse presidido pelo primeiro-ministro tendo em vista a presença de tantos chefes de Estado nos estágios decisivos do evento, marcado para terminar na próxima sexta-feira.

Este Blog vem dizendo a muito tempo que toda essa história de mudanças climáticas, Aquecimento Global e as providências tomadas para combatê-los, só vem beneficiar os países ricos, travando o desenvolvimento dos países pobres. Não cheguei sozinho a essas conclusões, mas sim, pela consulta às opiniões de cientistas de credibilidade.
Agora toda farsa está vindo a tona. Primeiro o escândalo dos emails.
E hoje a renúncia da presidente da Conferência do Clima Connie Hedegaard.
Adivinhem qual a denúncia que a afastou: Suspeita de beneficiar os países ricos.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Copenhague: "Continua o espetáculo do aquecimento Global"




Piadinhas marcam discurso de Schwarzenegger na COP-15

Vestindo uma gravata verde para combinar com as ambições climáticas da Conferência de Copenhague, o astro de filmes violentos como Exterminador do Futuro e Predador mostrou descontração e arrancou risadas da plateia em várias ocasiões.

"Eu gosto de vir nestes eventos porque não sou o único a ter sotaque", afirmou Schwarzenegger, logo no início, depois de Serra - a quem felicitou e chamou se "Sierra". O ex-ator, que é austríaco, deixou para trás a fama de truculento e se engajou politicamente em 2003. Desde então, ele tem usado cada vez mais os músculos - que continuam impressionantes - para brigar pelo meio ambiente. "Aqui é uma cidade tão limpa que você pode nadar no canal - mesmo se eu não recomendo fazer isso agora, porque frio demais", disse o astro, que teve o discurso interrompido três vezes por aplausos.

Sorridente, ele lembrou que já veio à capital dinamarquesa em diversas ocasiões - "para a promoção dos filmes, pelo fisiculturismo, para levantar uns pesos, ou simplesmente de férias" - mas jamais esperaria retornar enquanto governador da Califórnia.

Schwarzenegger também recordou que quando era criança, era chamado de "patinho feio", e que a transformação do mundo tem de vir de dentro das pessoas, como foi para ele. Para concluir, lembrou da frase com que ficou conhecido na sequência Exterminador: "I'll be back!" (Eu voltarei).




Pois é, pelo visto o debate lá em Copenhague se mantém em alto nível. As manchetes dos sites sensacionalistas, que mais defendem o Aquecimento global, como o TERRA, também. Agora estou mais tranquilo, pois sei que o ator e governador Schwarzenegger usa uma gravata verde para defender o meio ambiente.

Até agora o maior sucesso de Copenhague é Americano. O ex-Vice Presidente e prêmio Nobel All Gore e o atual Presidente dos EUA e prêmio Nobel Barack Hussein Obama, todos americanos, são as maiores figuras do encontro.

Os Estados Unidos não assinaram o protocolo de Kyoto, logo produziram CO2 a vontade, mas nós de 3º mundo, tivemos que nos controlar, mesmo que isso comprometa o desenvolvimento.

Pense nisso.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Carta Aberta à "Cúpula do Clima" em Copenhague

Esta carta está circulando, em várias línguas e em vários blogs, que, discordam dessa avalanche da mídia, querendo nos convencer que existem mudanças climáticas relacionadas ao CO2, nem mesmo o escândalo dos emails (Climagate) fez com que recuassem, ao contrário vieram com mais força, seguindo os tornados e qualquer evento climático lá na cochinchina (nem sei se existe esse lugar), para usar como argumento.

Vou reproduzir a carta esperando que chegue a Copenhague e alguma das 15.000 pessoas que se encontram lá, entre elas, negociadores, captadores de recursos para estudos do clima, ongs que recebem verbas para lutar contra o CO2, alienados, políticos interessados na queda do desenvolvimento dos países de 3º mundo e alguns imbecis que vão na onda da mídia.



Caros líderes,


Espero que a Conferência de Copenhague considere o que o escândalo ‘ClimateGate’ está dizendo a todos nós: que o aquecimento global antropogênico é uma fraude.
Como português, temos boas evidências históricas de que o nosso país foi mais quente no passado. Sabemos que o Período Quente Medieval foi real e soubemos lidar com as suas consequências. Foi então que Portugal e Espanha descobriram uma considerável parte do mundo, desconhecido àquela época. Sabemos também que a Pequena Idade do Gelo foi mais fria, e que foi um dos piores períodos da história portuguesa. Isto é o que o nosso passado nos diz claramente: que as mudanças climáticas vêm ocorrendo o tempo todo!

O que descobrimos nas últimas duas semanas é que a cúpula dos cientistas envolvidos no Aquecimento Global criou, manipulou e excluiu dados climáticos nas últimas décadas. O que também sabemos é que o CO2 é fundamental para a vida na Terra, seja ela vegetal ou animal.


E o que nós sabemos é que o calor que a Terra retém, e que também suporta a vida neste planeta, nós o obtemos do Sol.
Espero que todos e cada um dos delegados em Copenhague não se associe com a maior fraude científica de todos os tempos. Espero também que vocês se lembrem do que a história nos diz, e que não sejam lembrados no futuro como os mais ridículos humanos da história da Terra.



Fonte: Ecotretas

domingo, 13 de dezembro de 2009

O dia em que Guaiba virou mar


Durante as horas que o ciclone passou pela capital gaúcha, o forte vento que soprava de sul agitou as águas do rio guaiba, levantando fortes ondas e tomando conta das areias da praia.
O guaiba parecia mar.

Foto: Daniel Marenco da ZH

sábado, 12 de dezembro de 2009

Mais imagens do Ciclone extra tropical no litoral norte

O Ciclone extratropical que passou esta tarde pelo litoral norte, provocou muito vento, talvez em torno de 90 km/h.

O vento iniciou pelas 14h30min e se estendeu com sua plena força até as 20h, a partir dai acalmou um pouco.

As nuvens muito carregadas, ao meio dia, assustaram a população, mas as consequências não foram sentidas, nem se aproximaram daquele 19 de novembro.

Circulei em Tramandai e Imbé durante o vendaval para registrar o fenômeno. A medida que o tempo passava e eu sentia que não seria um evento trágico, ai comecei a curtir a beleza que não foi pouca durante a passagem do ciclone.


Lagoa muito agitada durante o vendaval


Desculpem pela qualidade do vídeo, filmei com meu celular.





Mas não pensem que essa imagem é do mar, é sim da lagoa na Barra de Imbé.





A medida que o final da tarde se aproximou as pessoas foram tomando coragem e os primeiros pescadores de final de semana foram aparecendo. E a diversão foi garantida pela grande quantidade de Tainhas, peixe-rei e sardinhas que foram capturadas.






Pois, com o ciclone em alto mar, as águas foram empurradas para a lagoa, formando forte maré de enchente, que trouxe consigo grande quantidade de peixes.




Você pode observar que o concreto onde as pessoas estão está bem molhado, parece que foi chuva, mas não. Durante o auge do vento as águas invadiram a escada e até o lugar onde ficam os carros, recuando depois.

O final deste dia atípico ainda nos proporcionou um lindo final de tarde, com um belo por do sol.

"Depois da Tempestade vem a Bonança".



Ciclone Extratropical no litoral gaúcho

A população de Tramandai e Imbé está apreensiva, no dia de hoje, a espera da chegada do vórtice do Ciclone extratropical previsto para hoje.

Em torno de 13h30min de hoje fui até a barra de Imbé e já se nota a aproximação de nuvens muito carregadas e ventos em torno de 50 km/h.

Tirei algumas fotos para compartilhar as imagens com os amigos:












Meu filho que brincava no balanço se assustou com a rajada

Mais tarde voltarei lá para conferir as condições climáticas e fazer mais registros. E torcendo para que o ciclone passe sem maiores transtornos.

Sábado para ficar atento


Hoje, dia 12 de dezembro, quando o vórtice do ciclone, que está se formando, atingir o litoral do Rio Grande do Sul, pode provocar muita chuva e ventos. Esses ventos deverão girar entre 70 e 90 km/h, mas em algumas regiões e horários podem superar os 100km/h, podendo causar alguns estragos.
Devem ficar em alerta o sul e o leste do estado.
Lagoa dos Patos e área de entorno, assim como o Litoral. Cidades como Pelotas, Rio Grande, São Lourenço do Sul, Mostardas, Camaquã e Tapes devem estar muito atentas quanto ao risco de chuva muito forte como vento bastante intenso. Nestas regiões, na maioria dos locais, o vento deve oscilar entre 70 e 90 km/h, mas alguns pontos podem registrar de 100 a 120 km/h. Alguns modelos computadorizados do começo da noite chegaram a projetar mais de 120/130 km/h para o Litoral Sul gaúcho. Também o Litoral Norte gaúcho deve se manter alerta ao risco de vento forte que ocasionalmente pode se aproximar ou superar os 100 km/h. Porto Alegre também pode ter rajadas de vento neste sábado, mas o risco maior nas próximas horas é chuva forte a torrencial.


Previsões da Metsul para hoje:




Portanto amigos, este sábado não é um bom dia para passeios ou encarar uma estrada. O negócio é pegar um filme e ficar em casa.

mas a partir de amanhã esse sistema deve rumar para alto mar, pegar o atlântico e se afastar. O tempo deve abrir com queda na temperatura e segunda volta a esquentar.

Fonte: A base para o comentários e previsões são da Metsul, bem como a figura.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Final de semana de Alerta na Região Sul

Segundo a Metsul, um centro de baixa pressão, ingressou hoje, pelo oeste do Estado do Rio Grande do Sul, devendo se transformar em um Ciclone Extratropical ao atingir o oceano entre sábado e domingo.

Veja na animação a trajetória até domingo do ciclone projetada pelo Cptec/Inpe:



Segundo a METSUL:

Este ciclone não parece ser um evento inclinado a provocar uma onda de temporais no Rio Grande do Sul, uma vez que grande parte do Estado já se encontra sob temperatura menor e instabilidade, o que atenua o risco de tempestades de vento e granizo de curta duração, apesar da possibilidade não estar afastada em pontos isolados. O Norte gaúcho, onde segue quente, seria uma área com possibilidade maior de temporais localizados. A chance mais significativa de temporais, entretanto, é maior mesmo para Santa Catarina e principalmente para o Paraná, São Paulo e o Mato Grosso do Sul, sobretudo entre amanhã e domingo, quando o ramo frontal (frente fria) do ciclone deslocar-se para o Norte. Estes estados podem, devem, porém ter temporais nas próximas horas associados ao ar quente e úmido de baixa pressão. Várias projeções sinalizam o risco de chuva forte a intensa em São Paulo neste fim de semana. Os maiores transtornos aqui no Rio Grande do Sul, em princípio, devem ser resultado mais da chuva intensa e do vento que pode soprar forte neste sábado.

Esse fenômeno não deve ser comparado ao Catarina, pois são eventos climáticos completamente diferentes.

Nem pode se esperar uma repetição do 19 de novembro, pois aquele vento se formou de forma rápida e repentina, enquanto esse vem se formando a várias horas.

Fenômenos como esse não e devem ao aquecimento global, nem a mudanças climáticas, pois já foram registrados inúmeros iguais a ele no passado em nosso estado.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Aquecimento global, Resfriamento ou Alarmismo?

As manchetes alarmistas tomam conta dos noticiários dos principais sites e outros meios de comunicação, durante a reunião da cúpula do clima.


Publicação do Site Terra hoje


Cientistas continuarão recebendo verbas para estudos do combate ao CO2. Países de 3º Mundo continuarão tendo que frear seu desenvolvimento para conter o CO2, enquanto os ricos continuarão crescendo economicamente.
Mas o assunto de hoje não é esse. Os cientistas da cúpula do clima, que a mais de 10 anos assustam a população mundial com a invasão dos oceanos, furacões devastadores e colocam a culpa de qualquer evento climático, que sempre aconteceu e sempre vai acontecer, no aquecimento global;
A 30 anos não diziam a mesma coisa:
Domingo, 30 de Junho de 1974. O Estado de São Paulo, um dos mais importantes jornais brasileiros e do continente, dedicava matéria de página inteira ao resfriamento do planeta Terra que vinha sendo observado desde a metade da década de 40. A manchete era enfática: "A Terra caminha para nova era glacial". Esta é uma das provas que ajudam a ilustrar como a o humor da imprensa e dos cientistas varia de acordo com as situações de momento, o que está se produzindo agora com uma histeria midiática em torno do aquecimento global.



A reportagem do Estadão comentava que "o mundo está cada ano mais frio", citando reportagem da revista Time dos Estados Unidos. A publicação paulista deu amplo espaço ainda para a opinião dos cientistas brasileiros da época, mencionando que a hipótese de uma nova era glacial estava "muito bem fundamentada" e, por isso, "muito provável".




O jornal O Estado de São Paulo, para complementar a reportagem de 1974 intitulada "A Terra caminha para nova era glacial", valeu-se da opinião do pesquisador Giorgio Giacaglia, Diretor do Instituto Astronômico e Geofísico da Universidade de São Paulo (IAG/USP). O Diretor do IAG da USP publica uma síntese dos seus estudos com conlusões muito interessantes tanto para época como para os dias atuais e que vieram a se confirmar por estudos realizados nos últimos dez anos mediante a reconstrução por modelos do clima do último milênio. O pesquisador chama a atenção para o aquecimento iniciado ainda no século XIX e que se prolongou na primeira metade do século XX, sendo seguido pelo identificado no trabalho do pesquisador da USP. A PDo apenas viria a ser constada por Steven R. resfriamento a partir de 1945 e que até aquele momento (em 1974) perdurava. A Oscilação Decadal do Pacífico sequer havia sido descoberta, mas o padrão constante da oscilação já estava Hare e Yuan Zhang em estudo de 1997, portanto 33 anos depois.



AGORA O FRIO





NOVA ERA GLACIAL

Nos anos 30 e 40 era o calor que gerava temor na humanidade. Em 1960 e 1970, o frio assustava o planeta. Hoje, o calor volta a apavorar a humanidade. Diversas pesquisas apontam que o ciclo solar 25 com pico em 2.022 poderia ter uma atividade solar reduzidíssima. Quem sabe, os temores sobre o frio não estarão de volta em 2.030 nos jornais e nas revistas ?

Os efeitos do resfriamento previstos pelos cientistas eram, aumento dos furacões, enchentes, secas, tornados, lendo a matéria pude notar alguma coincidência com as atuais previsões.

Obs.: Se alguém quiser as matérias, com letra aumentada, posso mandar por e-mail, deixe o endereço nos comentários.

Fonte: Arquivo da Metsul.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Enchente em São Paulo

Como observamos ontem, nos principais meios de comunicação do país, São Paulo praticamente parou. O rio Tietê e Pinheiros transbordaram e inundaram as principais ruas e estradas da maior cidade da América Latina.







O El Ninho continua fazendo estragos, depois de causar um caos no Rio Grande do Sul, agora é a vez de São Paulo.



E para variar surgem os oportunistas para sugerir que a enchente é causada pelas mudanças climáticas.


Após algumas leituras pude constatar que só este ano, foram removidos pela prefeitura mais de 300.000 metros cúbicos de sedimentos, que assoreavam os principais rios que cruzam São Paulo, principalmente o Tietê.



Em uma Metrópole de 20 Milhões de Habitantes, em grande parte habitando a encostas dos morros, produzindo toneladas de lixo, muitas delas indo para dentro dos rios por falta de consciência ambiental das pessoas; acidentes como este não me surpreendem.


A vegetação dos morros é removida, as raízes que seguram o material, dão lugar a alicerces e chão de casas, logo quando chega a enxurrada, esse material é removido, desce o morro e vai parar dentro do leito dos rios, que transbordam com mais facilidade.


Além disso, houve falha nos equipamentos de bombeamento, que tem função de escoar as águas do Tietê pois ele está tão depredado que não consegue mais fazer isso de forma natural.


Portanto, volto a insistir, não é o clima que muda e sim as consequencias dos eventos climáticos que aumentam sua proporção pela depredação ambiental.


Veja a reportagem veiculada ontem no site do MSN:



Por Claudio Feustel, Agencia Estado, Atualizado: 8/12/2009 19:37



Falha de bomba em usina agravou cheia do Tietê



Uma bomba do sistema da usina elevatória de Traição não funcionou hoje e foi o maior problema no Rio Pinheiros, que comprometeu 25% da capacidade de bombeamento e piorou ainda mais a capacidade de escoamento das águas do Rio Tietê, na capital paulista. A informação é da Secretaria Estadual de Saneamento e Energia (SSE), em comunicado divulgado esta tarde em conjunto com o Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee) e a Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae). A secretaria informa que há estudos para a instalação de duas bombas adicionais.



Devido à chuva forte e persistente desde a madrugada, o Rio Tietê transbordou hoje de manhã na cidade de São Paulo pela segunda vez desde que foi concluído o aprofundamento da calha do rio, em 2006. O último transbordamento foi em 8 de setembro deste ano. A água invadiu as pistas da Marginal Tietê e bloqueou a via em vários trechos.



Inaugurada em 1940, a usina elevatória de Traição tem como objetivo reverter o curso das águas dos rios Tietê e Pinheiros. Do ponto de vista energético, a reversão do rio tem como propósito manter volumes d' água nos reservatórios do Rio das Pedras e Billings suficientes para garantir a geração na Usina Henry Borden. A operação do sistema de reversão do Rio Pinheiros só é acionada justamente para o controle das enchentes.



De acordo com a SSE, os radares registraram chuva de intensidade média de 84 milímetros na Bacia do Alto Tietê, que corresponde a dois terços de toda a chuva prevista para o mês de dezembro. O órgão estadual atribui a esse volume excessivo de chuvas no Alto Tietê a origem dos pontos de inundação. Em média o Rio Tietê subiu 7 metros e o Rio Pinheiros, 4 metros.



O Daee afirmou no comunicado que executa periodicamente o desassoreamento e a limpeza dos rios Tietê, Cabuçu de Cima, Tamanduateí e dos piscinões do ABC e Pirajuçara e que só neste ano já foram retirados 380 mil metros cúbicos de sedimentos. A Emae disse que, por sua vez, retira 200 mil metros cúbicos de sedimentos e assoreamento, além de 2,8 mil toneladas de lixo por ano do Rio Pinheiros. A nota da SSE conclui que é necessário lembrar a população de que é preciso colaborar, não jogando lixo nas ruas, córregos e rios.


terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Análise do editorial de ontem dos principais jornais do mundo sobre Copenhagen


Os principais jornais do mundo ontem, publicaram um editorial, em conjunto, sobre o debate do clima que está ocorrendo em Copenhaguen.

O Editorial, como sempre, foi alarmista, com conclusões equivocadas.

Bem, mas vou publicar aqui, as análises de quem é a maior autoridade em clima do estado do Rio Grande do Sul, o Professor Eugenio Hackbart, da Metsul:



O debate do clima não merece editoriais apocalípticos


Mais de 50 jornais de 44 países, inclusive do Brasil, publicam hoje um editorial conjunto acerca da Conferência das Partes do Clima (COP15) em Copenhague. O editorial, proposto pelo jornal inglês The Guardian, curiosamente consta apenas do Miami Herald e sua versão em espanhol nos Estados Unidos, não aparecendo nas páginas de OP-ED (opinião) de nenhum dos principais diários do país como New York Times, Washington Post ou USA Today. No Reino Unido, tão-somente o Irish Times reproduz o editorial do Guardian. Igualmente os principais jornais de Rio e São Paulo, no Brasil, não se juntaram ao protesto coordenado. O manifesto, em alguns momentos apocalíptico, em outros panfletário, ignora fatos, sonega outros e distorce importantes pontos do debate do clima. Vários pontos merecem comentários:


"Agora, os fatos começaram a falar por si: 11 dos últimos 14 anos foram os mais quentes já registrados, o gelo do Ártico está derretendo e a alta nos preços do petróleo e dos alimentos no ano passado é um exemplo do caos que pode estar por vir".



É uma falácia que os últimos 11 anos foram os 14 mais quentes já registrados. Trata-se de um absurdo científico, considerando que o planeta já experimentou no passado fases de temperatura incrivelmente mais elevadas. Os níveis de CO2 nos últimos 50 anos aumentaram 50 ppm (partes por milhão) na última metade de século, alcançando hoje ao redor de 388 ppm, mas o planeta já passou por épocas em que os níveis de CO2 chegaram a 5 mil ppm. Nos Estados Unidos, que possuem uma base de dados mais completa e atualizada que a brasileira, os anos mais quentes do último século ocorreram na década de 30. Os recordes de calor do Rio Grande do Sul de 1917 e 1943 seguem até hoje intocados.
O Ártico, realmente, perdeu massa de gelo nos últimos anos, apesar do degelo em 2009 e 2008 ter sido menor do que em 2007. Da mesma forma que o Ártico, também entre as décadas de 20 e 30, experimentou um período de perda de massa de gelo. Recentemente, o Met Office, serviço meteorológico da Grã-Bretanha, ferrenho defensor da influência humana no clima, atestou em comunidade que "a alta variabilidade (da cobertura de gelo no Ártico) torna muito difícil de atribuir a redução na cobertura de gelo às emissões de gases do efeito estufa pelo homem. O editorial sonega do público que a Antártida teve em 2007 um recorde na sua cobertura de gelo desde que iniciadas as medições por satélite em 1979. Há poucos dias, na Folha de São Paulo, o enviado especial à base brasileira Comandante Ferraz na Antártida noticiava o espanto dos cientistas do Brasil na região com o que vem ocorrendo. Segundo eles, os invernos rigorosos ocorriam em média a cada quatro anos e agora 2007 e 2009 tiveram invernos muito mais frios que a média na região. A base segue coberta de neve no mês de dezembro, quando não deveria haver mais, o que levou o correspondente da Folha a afirmar que "ao menos nesta parte da Antártida a melhor expressão é resfriamento global".
Atribuir à alta do preço do petróleo às mudanças no clima é uma ignorância econômica primária. Demanda, especulação financeira e depreciação do dólar foram os fatores que levaram à alta do petróleo nos últimos anos. O mesmo em relação a outras commodities como os produtos agrícolas que viram seus preços ir às alturas com a queda do dólar no mercado internacional e a maior demanda de países em desenvolvimento. No caso dos alimentos, há outro agravante que está sim relacionado ao aquecimento global, mas pela via transversa. A fim de reduzir as emissões de gases do efeito estufa, grãos passaram a ser usados na produção de biocombustíveis, o que é apontado por especialistas como uma das razões para o aumento nos preços em todo o mundo. Esses mesmos analistas alertaram que o uso de grãos (soja, milho, etc) na produção de biocombustíveis estava fazendo com que áreas de florestas em regiões tropicais, da Malásia ao Brasil, estivessem sendo desmatadas para abrir espaço para plantações. Ou seja, o remédio se transformou na doença. Curiosamente, os mesmos jornais que hoje no Brasil publicam esta editorial comemoraram no passado também em editoriais os biocombustíveis devido aos benefícios econômicos para a agricultura local.



Diz também o editorial:


"Nas publicações científicas, a questão não é mais se os seres humanos devem levar a culpa pelo que está acontecendo, mas quão curto é o tempo que temos para reduzir os danos".


Trata-se de outra falácia. O alegado consenso sobre a responsabilidade humana nas mudanças climáticas é um engodo que se repete ad nauseam. No ano passado, um estudo (Brown, F., J. Annan, and R.A. Pielke Sr., 2008: Is there agreement amongst climate scientists on the IPCC AR4 WG1?) revelou que "a afirmação de que o homem não tem um papel importante na forçante climática é falsa, entretanto ainda existe uma controvérsia muito significativa quanto à magnitude dos seus impactos". Logo, não é possível sustentar em editorial que "nas publicações científicas a questão não é mais se os seres humanos devem levar a culpa pelo que está acontecendo". A Sociedade de Meteorologia dos Estados Uunidos (AMS) acaba de publicar uma pesquisa feito junto aos prognosticadores do tempo na televisão norte-americana associados à entidade que diariamente levam a previsão para milhões de pessoas. Apenas 35% concordam com a afirmação do IPCC de que "o aquecimento do sistema climático é inequívoco". Metade discordou que "a maior parte do aquecimento ocorrido desde 1950 é causado pelo homem". Exíguos 3% concordaram que "os modelos climáticos globais são confiáveis em suas previsões de aquecimento do planeta".


Também no editorial:


"As mudanças climáticas foram causadas ao longo de séculos e têm consequências que durarão para sempre. As nossas chances de frear o problema serão determinadas nos próximos 14 dias".


Atestar que mudanças climáticas são irreversíveis denota outra ignorância científica. O planeta sempre alternou períodos quentes e frios que não duraram para sempre. Ao denominado Período de Aquecimento Medieval (MWP) seguiu-se a Pequena Era do Gelo (LIA) entre os anos 1500 e 1900 dC. O aquecimento medieval, contudo, não consta do chamado gráfico Hockey Stick de Michael Mann, citado no escândalo Climategate, apesar de estar presente na maioria dos trabalhos sérios de reconstrução climática na paleoclimatologia. A única constante na Natureza é a mudança e em determinado momento do futuro a Terra voltará a sofrer com glaciação.


No editorial:


"A ciência envolvida é complexa, mas os fatos são claros. O mundo precisa agir para limitar a 2ºC o aumento da temperatura global, um objetivo que exigirá que as emissões mundiais de gases-estufa alcancem um teto e comecem a cair nos próximos cinco a 10 anos. Um aquecimento maior, de 3ºC a 4ºC - o menor aumento que podemos esperar se continuarmos sem fazer nada -, poderá levar seca aos continentes, transformando áreas agrícolas em desertos".


O editorial afirma que o menor aumento que pode ser esperado (3ºC a 4ºC) não tem sustentação científica. O relatório do IPCC de 2007 diz que no melhor cenário (B1) o aquecimento seria de 1,8ºC (variação entre 1,1ºC e 2,9ºC). Logo, o mínimo sustentado pelos cientistas da ONU não é 3ºC, mas 1,1ºC.


Mais:


"Mesmo agora, o mundo se encontra dependente da política interna americana, pois o presidente não pode se comprometer completamente com as ações até que o Congresso americano o faça".


Obama não pode se comprometer completamente porque governa um país democrático, não uma ditadura, em que as decisões nacionais passam pelo Legislativo. O Congresso, muitas vezes reflete a opinião pública, e no caso dos Estados Unidos, não há consenso entre a população de que o aquecimento global seja um caso urgente. A última pesquisa do Pew Research Center mostrou que despencou a crença no público americano nas teses das mudanças climáticas. Apenas 35% dizem que as mudanças climáticas constituem um problema sério contra 44% em 2008. Entre os ouvidos, 57% acreditam que o planeta aqueceu nas últimas décadas contra 71% dos ouvidos em 2008. Apenas 36% dizem que a influência na temperatura é humana, muito abaixo dos 47% da pesquisa do ano anterior. Nos Estados Unidos, diferentemente do Brasil, a grande imprensa ouve todos os lados envolvidos no debate climático, entre eles os céticos, o que permite à população formar opinião a partir de vários pontos de vista. No Brasil, a cobertura do escândalo Climategate, por exemplo, foi pífia.
Ainda no editorial:
"Muitos de nós, particularmente no mundo desenvolvido, terão de mudar seus estilos de vida. A era de voos que custam menos do que a corrida de táxi até o aeroporto está chegando ao fim. Teremos que comprar, comer e viajar de forma mais inteligente. Teremos de pagar mais pela nossa energia e usá-la menos".
Perguntas: Como os repórteres dos jornais que foram a Copenhague viajaram ? Não foram de avião ? Seus patrões não buscaram as passagens mais baratas ? Quantos dos donos destes jornais deixaram de andar de carro ou mudaram seus estilos de vida até hoje ? Se o custo da luz for aumentado para combater o aquecimento global, muitos destes jornais que publicaram o editorial serão os primeiros a protestar contra a energia mais cara para a população. A propósito, a imprensa dá conta que em Copenhague é tão grande a demanda por limusines entre os presentes na conferência que houve a necessidade de buscar duas centenas destes veículos em outros países da Europa.


Autor: Eugenio Hackbart

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Rede Globo se contradiz mostrando reportagem sobre degelo na antartida


Ontem a rede globo mostrou reportagem no Jornal Nacional, denunciando a fraude dos emails. Mas os cientistas da ONU reagiram reafirmando o Aquecimento Global e a Rede Globo, através do fantástico de hoje, mostrou reportagem sobre o degelo na Antártida.

Linck para reportagem do Fantástico do dia 06/12/2009:


A reportagem contém, aquelas cenas já conhecidas de degelo na primavera do pólo, quando aumenta a temperatura e blocos de gelo se desprendem da calota, para, no próximo inverno se solidificarem novamente. E também previsões catastróficas de aumento dos oceanos e dos furacões, logo agora em que acabou a temporada de furacões nos EUA, sendo considerada muito fraca.

Termina a reportagem com um pobre Pinguinzinho, solitário, pois seu bando foi banido pelo aquecimento, aquela velha história piegas, querendo puxar pelo lado sentimental das pessoas.

Ficou claro que foi uma retratação pela reportagem de ontem.

ESTÃO ACHANDO QUE SOU BOBO



Em abril deste ano a própria globo através de seu site G1, publicou que houve um grande aumento no gelo da antartida, inclusive atribuiu isso ao buraco da camada de ozônio, agora vem dizer que está derretendo tudo, claro o gelo depende da época do ano.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

A Farsa do Aquecimento Global caiu na Mídia


Acabei de ver no Jornal Nacional, o mais assistido no País, uma longa reportagem sobre os Emails capturados pelos Hackers, mostraram claramente o que todos já sabem:

-A maquiagem que foi feitas nos valores reais da temperatura.
Veja a reportagem do Jornal Nacional de hoje - dia 04/12, no vídeo abaixo:
E olha, para a globo veicular essa notícia é por que a coisa esta explicita, pois essa emissora ganhou muito com esse sensacionalismo todo.
Houve um declínio da temperatura nos últimos anos e os números foram majorados, isso tudo, para manter privilégios e os vultuosos repasses de dinheiro para o combate do Aquecimento Global.


Até o Oscar de All Gore, recebido pela produção do filme: "Uma verdade Inconveniente", está ameaçado. A academia já anunciou que pretende tomar a estatueta, por conta da Fraude.

Phil Jones, um dos cientistas que mais recebeu dinheiro para financiamento de pesquisas, supostamente pediu demissão.



DADOS REAIS FORAM PARAR NO LIXO



A Universidade de East Anglia, onde trabalha o tal Phil Jones, no qual os dados servem de base para o cálculo das temperaturas mundiais, foram efetivamente enviados para o lixo. Tal ato significa que ficaram apenas os dados tratados (leia-se manipulados), tornando impossível que outros cientistas possam confirmar a suposta subida de temperaturas nos últimos 150 anos.


Atrás disso tudo, existe o interesse na queda do crescimento econômico dos países em desenvolvimento como o Brasil. Pois ao diminuir a produção de CO2, cai a atividade indústrial.

Enquanto isso, os EUA, país de All Gore, nosso herói, não assinou o protocolo de Kyoto e pode produzir o CO2 a vontade.

Coitado do CO2.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Fim da "Fraca" Temporada de Furacões 2009 nos Estados Unidos


Está chegando ao fim a temporada de furacões que se iniciou em 1º de junho no Atlântico Norte e, pasmem, praticamente não se registraram tempestades de grande vulto.


Furacãozinho


A temporada deste ano foi a mais calma no Atlântico Norte, desde 2006 e a segunda mais tranqüila desde 1997.
Eu disse antes, pasmem, mas quem estuda um pouco os fenômenos climáticos sabe, que o EL NINHO, fenômeno natural, que aquece as águas do pacifico, provoca diminuição da atividade ciclônica no atlântico norte, então tudo dentro da previsão que já havia sido feita pelos institutos de meteorologia.
O EL NINHO, favorece a vinda de umidade para a região do prata, sendo assim, fica mais fácil de se registrar eventos ciclônicos durante a vigência desse fenômeno.
Desde 1997, só houve em 2005, o Furacão Catrina que causou grande devastação, fora isso são 12 anos de muita tranquilidade na região em relação as tempestades ciclônicas.
Não existe mudança Climática, os eventos meteorológicos vão acontecer sempre, as vezes aqui, outras nos EUA, ou em qualquer parte do mundo, não existe evidência, nem comprovação científica de Aquecimento Global.
O que existe sim é o aumento das consequencias causadas pelos eventos climáticos.
Vamos cuidar do assoreamento e poluição dos rios, para não transbordarem, do desmatamento, do saneamento básico. E parar de colocar a culpa no pobre do CO2.