terça-feira, 27 de setembro de 2011

Muito mais água doce



A água doce é um grande problema que a Humanidade enfrenta. Nós usamos um monte de água doce, na maioria das vezes, muito.

 E é importante que preservemos este valioso recurso. Mas quando uma notícia muito boa sobre a água fresca surgem, elas normalmente não são valorizados pelo alarmistas. Isto é o que tem acontecido no Brasil. Duas grandes descobertas foram feitas de água doce, mas pouco tem sido dito sobre ele.

 O Blog Verde trouxe para a minha atenção.Talvez, Al Gore vai mencioná-lo do Rio de Janeiro, em sua stunt Reality Climáticas ? A primeira descoberta se refere a um "rio" subterrâneo que corre por baixo do rio Amazonas, com o nome do rio Hamza . 

A representação visual pode ser visto na imagem acima, obtida aqui . O Hamza é um rio que flui muito lenta, em torno de 10 a 100 metros / ano, e é de 6000 quilómetros de comprimento. A taxa de fluxo é muito menor que o da Amazônia, mas é muito mais ampla, a 400 quilômetros.

 A descoberta é o trabalho de Elizabeth Pimentel, um estudante de doutoramento supervisionado por Valiya Hamza, para quem o rio era chamado. A boa notícia foram apresentados no 12 º Congresso Internacional da Sociedade Brasileira de Geofísica , 17 de agosto último.




A segunda descoberta está relacionada com o primeiro, mas é mais velha. Milton Matta, e sua equipe na LARHIMA (Laboratório de Recursos Hídricos e Meio Ambiente), anunciou no ano passado a descoberta do tamanho do Alter do Chãoaqüífero , que se acredita ser maior do que o Aqüífero Guarani , em termos de volume.


 Apesar de ser menor em tamanho do que o Guarani,  Acredita-se que tenha 86 mil km3 de água, contra 45 mil Guarani km3. Isto é devido a uma maior espessura em Alter do Chão, que também é mais próximo da superfície. Há água neste aqüífero suficiente para encher o Lago Superior , o lago de água doce terceira maior em volume , sete vezes!


Fonte: ECOTRETAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário