segunda-feira, 25 de abril de 2016

Frio - O forte aliado contra o Aedes aegypti




O Aedes aegypt não resiste as temperaturas abaixo dos 17ºC e morre, a não ser que existam mutações que eu desconheço.
O índice de mosquitos neste ano, tem sido muito maior que em anos anteriores, devido as chuvas provocadas pelo fenômeno El Ninho.
Muita água acumulada nas ruas, principalmente aqui no Litoral Norte, aliada as altas temperaturas nos últimos meses, tem tornado quase insuportável a infestação de mosquitos neste ano.
A previsão de uma queda brusca nas temperaturas vai fazer a temperatura despencar nessa semana no estado do RS, o que deve provocar a morte de um grande percentual de mosquitos.
Claro que a consciência da prevenção deve continuar, pois quando a temperatura subir novamente as larvas voltarão.

Claro que os cuidados não param, pois com o frio as nossas imunidades tendem a cair, e o vírus H1N1 passa a ser o problema, o vírus esse ano parece estar mais agressivo.

1 - O mosquito da dengue é chamado Aedes Aegypt. Somente a fêmea transmite a doença e o hábito deste inseto é vespertino. Ou seja, durante a tarde, o risco de ser picado é maior.
2 - Segundo um estudo do Ministério da Saúde, 85% dos criadouros dos mosquitos da dengue estão dentro das casas das pessoas. A maioria nos vasos de planta e nas caixas d’água mal fechadas.
3 - Os ovos do mosquito da dengue podem resistir por 400 dias nos cantinhos dos vasos e até em tampinhas de garrafa antes de virar larvas. Por isso, além de não deixar água parada é importante escovar com sabão cada cantinho dos recipientes.
4 - A temperatura preferida do mosquito da dengue para a procriação é de 36ºC. Acima de 50ºC – como mostraram os termômetros neste verão no Rio de Janeiro – a reprodução do inseto ja é comprometida. Mas para coibir o ciclo entre ovo e mosquito o ar-condicionado é um bom aliado. O Aedes detesta frio e morre em locais com menos de 17ºC.
5 - Uma receita caseira para evitar o Aedes: acender velas de citronela ou andiroba. Elas são eficientes para espantar os mosquitos.
6 - No início da epidemia de dengue do Brasil, os pesquisadores chamavam a doença de febre quebra ossos. Isso porque a dor no corpo era tamanha e a febre muito alta, acima dos 40ºC. Já no perfil de epidemia de hoje, o desconforto corpóreo continua grande, mas as febres nem sempre são altas e podem ficar em 38,5ºC.
7 - No Brasil circulam os tipos 1, 2 e 3 de dengue. Existe o tipo 4 presente em todos os países da América, Latina, Ásia e África. Os pesquisadores temem a chegada dele em terras brasileiras porque o risco é de uma epidemia sem precedentes na história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário