quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Exploração do Cometa

A hipótese mais aceita pela biologia sobre a origem da vida é a Hipótese Heterotrófica, segundo essa teoria, a vida teria se originado de uma série de reações químicas, até a formação da molécula de DNA. Os primeiros seres teriam sido Heterótrofos fermentadores, mas há quem ache que os primeiros organismos poderiam ter vindo do espaço, de carona em um corpo celeste, como cometas ou meteoros.

67P/ Churyumov-Gerasimenko
Um marco espetacular na era espacial. A sonda europeia Rosetta entrou nesta quarta-feira na órbita de um cometa, depois de ter passado quase uma década no seu encalço. A nave se aproximou do 67P/ Churyumov-Gerasimenko para investigar a estrutura e composição do astro. “Depois de 10 anos, 5 meses e 4 dias viajando até nosso destino, após cinco voltas ao Sol numa viagem de 6,4 bilhões de quilômetros, estamos felizes em anunciar que finalmente chegamos”, disse o diretor-geral da Agência Espacial Européia (ESA)  Jean-Jacque Dordain. Os onze instrumentos da Rosetta devem observar o cometa por mais de um ano, buscando indícios da presença de água, carbono e outros elementos fundamentais para a vida. Uma das teorias entre pesquisadores é que a vida aqui na Terra possa ter surgido a partir de elementos orgânicos trazidos por corpos celestes.


Até hoje, cientistas foram capazes apenas de fazer sondas cruzarem o caminho de cometas, possibilitando apenas observações fugazes. Agora uma nave montada pelo homem está viajando lado a lado de um. As dificuldades técnicas de seguir na órbita ao redor do 67P são consideráveis. O cometa viaja a 55 mil km/h. Para entrar na sua órbita, a nave precisa estar em frente a uma velocidade diferente apenas 3,6 km/h menor, permitindo a aproximação até ficarem lado a lado. O feito é inédito e dificultado pelo fato de os sinais de rádio enviados da Terra para comandar a sonda levarem mais de 22 minutos para serem recebidos devido à distância de 550 milhões de quilômetros da Terra. No primeiro dia da sua órbita, Rosetta começou a enviar imagens fantásticas em alta resolução da superfície do cometa, mostrando crateras e desfiladeiros.

A missão Rosetta, batizada em homenagem à pedra que possibilitou a tradução dos hieróglifos egípcios, foi planejada na década de 90. A sonda foi lançada em março de 2004 e utilizou a gravidade da Terra e de Marte para ganhar impulso. A sonda foi desligada (modo de hibernação) por 31 meses a partir de 2012 e somente foi reativada em 1º de janeiro deste ano a fim de economizar energia. A missão vai ficar ainda mais incrível em novembro, quando Rosetta se aproximar ainda mais do cometa. O controle da missão vai tentar pousar o módulo Philae da sonda na superfície do cometa. Para isso serão usados “arpões” como âncoras. Uma vez na superfície, Philae realizará uma série de experimentos, inclusive perfurações nas rochas.

Fonte: Metsul

Nenhum comentário:

Postar um comentário