sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Histórico da Camisinha (Sala de Aula)

Muito interessante a pesquisa apresentada por alunos do 2º Ano da Escola 9 de Maio em Imbé:

Histórico:

-1850 a.C. - Um manuscrito médico, datado de 1850 a.C., indica que os egípcios já utilizavam métodos para evitar a gravidez. Apesar de ser conhecida por ''camisinha dos faraós'' ela era, na verdade, feminina: um pano empapado de mel e excremento de crocodilo era introduzido na vagina da mulher antes do ato sexual.h

 -Século 10 – Vincent Vidal, autor de La Petit Histoire du Preservatif, defende que o objeto surgiu em terras asiáticas. Para ele os chineses teriam criado uma camisinha de papel de seda lubrificado com oleos naturais.
-Os japoneses usavam um acessório feito de carapaça de tartaruga.

-1564 – Escritos do médico Gabriel Fallope, sugerem que ele tenha criado uma capa de linho embebida num líquido com ervas e abstinto amarrada com um laço. O artefato manteria o pênis livre de infecções.
-Século 17 – Há várias teorias sobre a origem de ''condom'' (camisinha em inglês e francês). A mais aceita, é a de que um médico, Dr. Condom, da corte do ei inglês Charles II, criou um saco de tripa de instestino de carneiro.
-1839 – Neste ano o americado Charles Goodyear criou a vulcanização. Aplicar calor, pressão e enxofre à borracha tornava o material maleável, resistente e ideal para fazer camisinhas.

-1920 – Com a invenção do latéx, neste ano, a produção do artefato ficou mais simples e resistente e confortável. A camisinha se populariza e ganha a forma que se mantém até hoje.

-Anos 90 – O modelo de camisinha feminina surgiu apenas nos anos 90. É feita de poliuretano e armazena o esperma numa espécie de bolsa, evitando a gravidez. Foi um marco de independência feminina, mas não se tornou tão popular quanto a masculina.

 -2006 – O alemão Jan Vinzenz Krause criou uma camisinha em spray, aplicável em 10 segundos. Antes da relação, basta colocar o pênis num tubo para ser coberto por uma camada de látex líquido. Mas ainda está em fase de teste.

-2010 – O governo suíço anunciou um plano de fabricar preservativos voltados para jovens entre 12 e 14 anos. As camisinhas teriam tamanhos menores e serviriam para evitar a gravidez precoce.

-2010 -  Ainda em 2010, a médica sul-africana Sonnet Ehlers, cansada de ver mulheres sendo violentadas sexualmente, criou uma camisinha feminina com garras na parte interna. Além de machucar o agressor, serve como denunciante, visto que ele precisaria de ajuda médica para retirar o objeto.

-2012 – Após seis anos de pesquisas, os designers Paul Breur e Adnan Tunovic criaram uma camisinha revolucionária, ''mais fácil de colocar e mais difícil de rasgar''. O segredo seria o aplicador para colocá-la com uma mão só. A fabricante Delft faturou prêmios pela inovação.

Composição: Amatéria prima da camisinha é o latéx, extraído dos pés das seringueiras. Mas o latéx usado para produzir camisinhas não chega às fábricas exatamente como saiu da floresta. Para ganhar mais elasticidade ele é filtrado até chegar a 60% de borracha, o dobro do original – o restante é basicamente água. Para ganhar mais resistência é feito o processo de vulcanização.

Depois da  vulcanização, fazem o processo de lixiviação, que consiste em uma máquina que mergulha a camisinha ainda no molde dentro de um tanque cheio de produtos químicos para eliminar particulas ruins que podem, eventualmente, causar alergias ou desconforto para os usuários.
A camisinha passa, então, por um banho de talco ou amido de milho que acaba com sua consistência grudante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário