sábado, 5 de setembro de 2009

Novo tratado climático trava no G20


Sempre achei que, entre todos os motivos que fizeram com que a mídia internacional batesse insistentemente na tecla do Aquecimento Global, teoria sem nenhuma evidência Científica, fosse o de frear o crescimento dos países emergentes, que vem tomando espaço dos EUA e Países Europeus no mercado internacional.
Para receberem os tais créditos de Carbono, os países precisam diminuir as emissões do diabólico Gás. Reduzir CO2, significa reduzir produção industrial, isso tudo no momento de maior queda do dólar em relação as moedas internacionais.
Agora, parece que os países emergentes estão se insurgindo contra esses "acordos climáticos".

Segue notícia veiculada no site Terra em 05/09/2009:

Negociações sobre novo tratado climático travam no G20
05 de setembro de 2009 • 12h50 • atualizado às 14h51

As diferenças entre os países ricos e os em desenvolvimento impediram no sábado que os ministros das Finanças do G20 concordassem com medidas para fechar um novo tratado climático.
Países industrializados haviam pressionado para incluir o financiamento ao combate às mudanças climáticas na agenda da reunião, mas encontraram resistência de países emergentes incluindo a China, que temem que as propostas possam sufocar seu crescimento econômico, disse uma fonte do G20.
Um esboço de comunicado visto pela Reuters omitia qualquer referência a uma discussão dos planos dos países mais ricos de usar tanto o financiamento do setor privado quanto do público para reduzir as emissões de gás carbônico e mitigar os impactos da mudança climática.
O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse em julho que os ministros das Finanças deveriam repercutir o financiamento climático em uma reunião entre 24 e 25 de setembro dos líderes do G20 na cidade norte-americana de Pittsburgh, levantando expectativas de um progresso neste fim de semana em Londres. Reuters

Nenhum comentário:

Postar um comentário