domingo, 5 de setembro de 2010

Versões alarmistas sobre a extinção dos Limulus (caranguejo-ferradura)



Li esta notícia no site: Terra



O límulo, mais conhecido como caranguejo-ferradura, é mais uma espécie que passa a correr risco de extinção com as mudanças climáticas na Terra. Animais de porte maior passaram a caçá-los com o sumiço de espécies que costumavam ser suas presas. Além disso, sofrem com o aumento da pesca em regiões na quais vivem. As informações são da Discovery News

.
Equipe do Instituto de Vistorias Geológicas dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) visitou locais em que caranguejos-ferradura vivem e encontraram ligações entre as mudanças de clima e o declínio do número de caranguejos vivos.


Os caranguejos-ferradura, além de límulo, também são conhecidos como fósseis vivos, por seu formato, e são uma das espécies mais antigas vivas no planeta. Praticamente não mudaram desde que surgiram á 400 milhões de anos. Vivem na Ásia e nas Américas.


Um dos motivos, segundo cientistas, para tanto tempo de sobrevivência é a genética da espécie. Porém, este novo estudo do USGS mostra que esta falta de evolução traz prejuízos, que culminam na falta de adaptação ao clima atual.


Além deste problema, o crescimento do nível do mar faz com que os caranguejos-ferradura vivam em comunidades isoladas, diminuindo o poder de evolução conjunta.




Grifei algumas maravilhas dos alarmistas:



- Primeiro: Como, um animal que passou por fases de grande instabilidade da crosta terrestre, pela era do gelo, pelo aquecimento global a idade média, agora vai sucumbir perante uma suposta elevação de 0,5ºC na temperatura.



- Segundo: As mudanças do clima provocaram a diminuição do número de Limulos, um animal de 400000 anos de existência deve ser muito sensível a estas grandes mudanças climáticas.




- Terceiro: O crescimento do nível do mar está influenciando, bem, antes deve ser dito onde o mar está crescendo, moro em Imbé no litoral, cidade que conheço a 40 anos, aqui não cresceu nem 1mm, deve ter locais no planeta onde o mar subiu, como também outros locais onde desceu, devido as mudanças naturais na crosta, mas mudanças significativas para levar a extinção um animal de 400.000 anos...



A verdadeira causa dessa diminuição no número de exemplares dessa espécie está na captura pelo próprio homem, devido ao alto valor desses animais na medicina. Até para transformá-los em pó e servir de alimento ao gado, o homem os captura.




Os alarmistas não tem limites para tentar nos empurrar o aquecimento global goela abaixo, ainda mais depois da descoberta da fraude nas temperaturas e agora que até a ONU está aconselhando mudanças no IPCC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário