sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Entrevista com Luis Carlos Molion - meteorologista/Desmistificando influência do CO2

Amigos, como já sabem sou da área da biologia, em meteorologia sou apenas um leigo apaixonado que estuda muito, mas não tenho formação acadêmica na área.
Portanto, vejam uma parte da entrevista de Luis Carlos Molion, a maior autoridade da América Latina em meteorologia, sobre o que vem acontecendo no clima ultimamente.
Ele vem confirmar tudo que este blog acredita sobre as mudanças climáticas.
QUEM É LUIZ CARLOS MOLION
Luiz Carlos Baldicero Molion é bacharel em Física pela USP e doutor em Meteorologia – e Proteção Ambiental,
como campo secundário – pela Universidade de Wisconsin, Estados Unidos. Concluiu seu pós-doutorado no Instituto de Hidrologia, em Wallingford, Inglaterra, em 1982, na área de Hidrologia de Florestas.
É associado do Wissenschaftskolleg zu Berlin (Instituto de Estudos Avançados de Berlim), Alemanha, onde trabalhou como pesquisador visitante de 1989 a 1990.
Molion tem mais de 30 artigos publicados em revistas e livros estrangeiros e mais de 80 artigos em revistas nacionais e congressos, em particular sobre impactos do desmatamento da Amazônia no clima; climatologia e hidrologia da Amazônia; causas e previsibilidade das secas do Nordeste; mudanças climáticas globais e regionais; camada de ozônio e fontes de energias renováveis.
Foi cientista-chefe nacional de dois experimentos com a NASA sobre a Amazônia. Aposentou-se do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE/MCT), onde foi diretor de Ciências Espaciais e Atmosféricas, como Pesquisador Titular III. Entre 1990 e 1992, foi presidente da Fundação para Estudos Avançados no Trópico Úmido (UNITROP), Governo do Estado do Amazonas, em Manaus, onde desenvolveu pesquisas sobre desenvolvimento sustentado, em particular o biodiesel, combustivel renovável feito de óleos de palmáceas nativas.
Atualmente, encontra-se na Universidade Federal de Alagoas (UFAL), em Maceió, como professor associado e diretor de seu Instituto de Ciências Atmosféricas (ICAT). Também desenvolve pesquisas nas áreas de dinâmica de clima, desenvolvimento regional, energias renováveis e dessalinização de água. É membro do Grupo Gestor da Comissão de Climatologia da Organização Meteorológica Mundial (MG/CCl/OMM), como representante da América do Sul.
Entre suas áreas de conhecimento e interesse, destaca a variabilidade e mudanças climáticas, particularmente os climas da Amazônia e Nordeste, os impactos de mudanças climáticas no desenvolvimento e proteção ambiental. No que diz respeito a recursos hídricos: água no sistema solo-planta-atmosfera, evaporação e evapotranspiração, mudanças climáticas e água. Tratando-se de desenvolvimento sustentado e energias renováveis (eólica, solar e aproveitamento de resíduos vegetais): óleos vegetais e biodiesel como combustiveis renováveis, métodos e equipamentos para tratamento e dessalinização de águas salobras, do mar e servidas.
Essa entrevista foi concedida em Janeiro/2010 para o programa canal livre da TV BAND
video

Um comentário:

  1. Pois ontem o professor Luiz Carlos esteve novamente no canal livre...já tinha ouvido algumas especulações a respeito do que ele disse mas nunca nada muito concreto, mas ontem, tive a oportunidade de na integra ouvir a teoria que nos acerca a respeito da farsa do aquecimento global. Achei muito interessante o discurso dele e como química, faz muito sentido tudo o que ele disse... sempre achei que tanto as mudanças climáticas quanto a historinha de créditos de carbono, nunca passou mais do que uma forma de também comercialização, desta vez, da "salvação do planeta".

    ResponderExcluir