quinta-feira, 1 de julho de 2010

Enchente no Nordeste: Se deve às Mudanças Climáticas?

Claro que não.





Vejam só essa margem de rio sem nenhuma mata ciliar, com casas até quase dentro do leito.


O discurso dos governantes quando acontece uma tragédia dessa proporção, tem sido sempre o mesmo, colocando a culpa nas mudanças climáticas.

Na verdade esses fatos já aconteceram no passado diversas vezes, inclusive matando ainda mais pessoas do que este último, as lições não foram aprendidas: o clima é cíclico, os fatos se repetem e podem causar mais danos quanto mais significativa for a depredação do ambiente.

Mas como sempre, acaba sobrando para o aquecimento global.


Eu estava lendo os principais sites de meteorologia, quando vi este histórico no site da METSUL:


Não foi a primeira vez que cidades às margens dos rios Mundaú, Canhoto e Paraíba acabaram arrasadas pela força das águas. Em 14 de março de 1969, a pequena cidade alagoana de São José da Lage foi destruída por uma enchente relâmpago do rio Canhoto. O noticiário relatou à época mais de mil mortos. Foram centenas de pessoas arrastadas e afogadas.

1969






A própria São José da Lage foi atingida, mesmo que em menor proporção que há 41 anos, já que muita gente, traumatizada pela catástrofe de 1969, decidiu morar longe do rio. A tragédia não foi a primeira e não será a última. Se após o episódio de 41 anos atrás tivessem sido adotadas medidas de contenção de cheias ou prevenção como retirada de moradores de áreas ribeirinhas, as conseqüências da chuva teriam sido menores, afinal inundações são recorrentes na zona com precedentes de eventos de natureza catastrófica. O desastre no Nordeste de agora (clique sobre as fotos abaixo para ampliar) é mais um no Brasil em que há a mão negligente de governantes do presente e do passado.

Como podemos ver, esses fatos sempre aconteceram e sempre vão acontecer. Não é o aquecimento global que os provoca. Haverá perigo, enquanto existir gente morando às margens dos rios.
Beira de rio é lugar de árvore e mata ciliar.


2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Poisé, infelismente o ser humano ainda se acha o rei da cocada preta. (e nesse caso vitima das circunstancias)
    Me deixa muito chateado acontecimentos como esses, não só pela tragedia em si, mas princpipalmente por alguns depoimentos que colocam a culpa dos acontecimentos na natutereza, e como a propria expressão diz: ''catastrofes naturais''. Acho esse tipo de postura no minimo autodestrutiva, pois essas coisas não acontecem por magica (a natureza não tem vontade própria), se não tiver arvore em beira do rio é claro que a terra ficará solta e a tendencia é da água levar tudo.
    Coisas como essas vão continuar acontecendo caso o comportamento humano não mude, e enquanto não houver preocupação em conhecer os ciclos naturais e de como devemos viver de forma sustentavel, tudo continuará igual.
    Os ciclos naturais nunca vão mudar por mais que o homem queira, o que tem que ser mudado (de forma geral)é a conciencia humana.

    ResponderExcluir