quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Hoje anoiteceu as 13h


Hoje, após um final de manhã muito abafado em Gravataí-RS, falavamos que as condições para um temporal estavam todas criadas, muita umidade e calor. Eu comentava com minha mãe e meu avô de 96 anos, ele narrava sobre grandes tempestades que já acompanhou no passado, dizendo que estas são fracas comparadas as da década de 30 e 40.





Foi terminar a conversa e notei que o céu começou a ficar escuro, ventos em torno de 90 km/h se abateram sobre a cidade, para o pavor da minha mãe e o riso ironico do meu avô, as imagens foram belas e assustadoras.




Entrei e comecei a acompanhar pelo rádio os efeitos da tempetade na região o que estou fazendo neste momento:

- Várias árvores arrancadas na RS-040, altura de águas claras;

- O telhado da Camara de Vereadores de Xangrilá foi arrancado, bom esse o povo paga o conserto;

- Caiu uma marquise de um prédio e um muro em Porto Alegre;

O temporal, pelo que pude observar, chegou na grande Porto Alegre antes do Litoral, pois durante o vendaval liguei para Imbé, onde moram minha mulher e meu filho, não havia nada lá.
Depois que o vento acalmou aqui ela me ligou, estava debaixo da mesa com com o guri e ventava muito.
Palavras do Seu Orcy, meu avô(96 anos) : " Os temporais antigamente eram muito, mas muito maiores que os de hoje em dia, eram mais duradouros e vinham acompanhados de granizo e muita chuva. Quando dava tormenta lá, não era brincadeira, Ficava em meu quarto de frente para o Rio uruguai, esperando o vento, em uma noite veio o vento arrancou a janela do quarto."

Nenhum comentário:

Postar um comentário