quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Temporais no RS

Esta madrugada a região metropolitana e principalmente Porto Alegre, foi atingida por mais um temporal com descargas elétricas e precipitações, tudo dentro da previsão anunciada para este mês, que é de muita chuva.


Os fenômenos que estão acontecendo são típicos da primavera e verão: época em que aumenta o calor, cresce a evaporação, que aliada a umidade trazida pelo el ninho, produzem muitas nuvens carregadas.



Esta é a foto aérea tirada hoje sobre o estado do Rio Grande do Sul, que encontra-se em baixo dessa espessa camada de nuvens em formato circular.

Segue abaixo previsões e explicações de quem realmente entende, pois meu negócio é biologia, na meteorologia sou apenas um leigo apaixonado, mas todas as minhas postagens são feitas com base em leitura e estudos feitos em sites especializados e publicações de especialistas:

METSUL:

Os temporais no Rio Grande do Sul prosseguem nas próximas horas. Isso porque na madrugada de hoje se formou sobre o Rio Grande do Sul um fenômeno conhecido como CCM (Complexo Convectivo de Mesoescala), um aglomerado de nuvens carregadas, geralmente na forma circular, associado ao ar quente e úmido de origem tropical. Trata-se de um sistema meteorológico típico da primavera e do verão, comumente associado à chuva forte e tempestades, e que no caso de hoje foi induzido pelo avanço de uma frente fria. A precipitação acumulada desde o começo da noite de ontem até dez da manhã desta quarta-feira, ou seja, em cerca de 12 horas, somou 94,4 milímetros em Jaguarão; 87,2 em Canguçu; e 80,6 milímetros em Bagé. Nesta manhã de quarta, começou a chover muito forte na região de Uruguaiana e Bagé.

A MetSul Meteorologia, assim, alerta para a manutenção das condições de forte instabilidade no Rio Grande do Sul no restante desta quarta-feira com chance de chuva localmente forte e em elevados volumes, além do risco de temporais isolados. Adverte-se para o risco de voltar a chover forte na área da Capital. Já amanhã, quinta-feira, o avanço de ar frio a partir do Uruguai deve instabilizar ainda mais a atmosfera sobre o território gaúcho, gerando novas precipitações intensas e temporais isolados no Estado que podem afetar todas as regiões. Os volumes de chuva devem ser localmente elevados a excessivos para apenas um dia com potencial para novos alagamentos e transtornos para a população. O tempo não firma no restante da semana e projeções computadorizadas sinalizam o risco de mais chuva intensa e temporais no fim de semana, inclusive na área da Capital e região metropolitana.
Autor: Eugenio HackbartPublicado em 18/11/2009 10:42

Nenhum comentário:

Postar um comentário