quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Madrugada de calor Recorde na Grande Porto Alegre


Já haviam sido registradas temperaturas muito altas, na madrugada, em Fevereiro, no passado, mas como estas ainda não.

Como a ciência procura explicar tudo, vamos a essa explicação:

Ocorre o seguinte, com o aumento progressivo das grandes cidades, aumentam também as ruas asfaltadas, prédios... muito ferro e cimento. O calor que chega durante o dia é absorvido por esses materiais, e a noite tem dificuldade de dissipar para a atmosfera, esse fenômeno é chamado ilha de calor.


Em locais que ainda permanecem com áreas rurais próximos a Grande Porto Alegre, foram registradas temperaturas na madrugada em torno de 7º mais baixas.

Veja reportagem do Metroclima - Correio do Povo

Houve pontos de Porto Alegre em que a temperatura não baixou de 29ºC na madrugada desta quarta-feira. As mínimas registradas pelas estações da MetSul e do Sistema Metroclima foram de 25,0ºC na Lomba do Pinheiro (zona rural); 26,8ºC na Avenida Sertório; 28,1ºC no Moinhos de Vento; e 28,7ºC no Menino Deus. Na estação do bairro Menino Deus, a temperatura somente baixou da casa de 30ºC para 29,9ºC às 4h54m da madrugada. No primeiro minuto do dia, fazia 30,8ºC no Menino Deus; 30,6ºC na Sertório (zona Norte); 30,4ºC no Moinhos de Vento; e 26,7ºC na Lomba do Pinheiro (zona Leste). No Centro da Capital, digitais de rua chegavam a marcar 34ºC nos primeiros minutos do dia na Rua da Praia (Andradas).
O calor muito mais forte no Centro e nos bairros próximos à noite deve-se a um fenômeno conhecido como Ilha de Calor Urbano (UHI na sigla em Inglês). A grande concentração de prédios, construções, asfalto e concreto faz que o Centro da Capital e áreas adjacentes retenham maior calor do dia, tornando as noites mais quentes do que regiões afastadas, sobretudo rurais, onde a temperatura cais mais acentuadamente por não sofrer o efeito da urbanização. Bairros em Porto Alegre como a Lomba do Pinheiro e Belém Novo são muito mais frios à noite do que o Centro justamente em razão das diferenças de urbanização. (Alexandre Aguiar / MetSul Meteorologia com foto de Ricardo Giusti/Correio do Povo)

Um comentário: