sábado, 27 de fevereiro de 2010

Terremoto no Chile



O governo chileno contabiliza pelo menos 300 mortes causadas pelo terremoto que atingiu o país durante a madrugada deste sábado. O tremor, de 8,8 graus na escala Richter, também foi sentido na Argentina e na cidade de São Paulo. Segundo o ministro do Interior, Edmundo Pérez Yoma, cerca de 34 das mortes foram registradas na região do Maule, a 300 quilômetros ao sul de Santiago. Ainda ocorreram ao menos 13 mortes em Santiago, 10 na região de O'Higgins, quatro em Valparaíso e três em Araucania, a 670 quilômetros ao sul de Santiago.


Na região do Bio-Bio, a 500 quilômetros de Santiago, onde ocorreu o epicentro do terremoto, registrado às 3h36 de hoje, foram confirmadas 10 mortes, mas se presume que exista um número maior, segundo o subsecretário do Interior, Patrício Rosende. Havia problemas de comunicação com essa região, disse o funcionário, que confirmou que o governo declarou estado de catástrofe em todo o território afetado pelo sismo, entre as regiões de Valparaíso e Araucania, que abrange 800 quilômetros do país.A presidente Michelle Bachelet, que esteve desde os primeiros minutos posteriores à catástrofe no Escritório Nacional de Emergência, lamentou não poder informar ainda o número de feridos e anunciou que viajará à região do Maule, a mais afetada, nas próximas horas.


Embora a Marinha chilena tenha descartado o perigo de um tsunami, uma onda de considerável tamanho invadiu parte de um povoado no arquipélago de Juan Fernández, a 600 quilômetros do litoral chileno, sem causar vítimas. Situações similares foram registradas em algumas localidades litorâneas da região do Maule e na Ilha de Páscoa, a 3,6 mil quilômetros do litoral chileno, as autoridades fizeram uma evacuação preventiva do povoado de Hanga Roa, embora não se observaram mudanças no comportamento do mar. Com relação aos danos materiais, o impacto ainda está sendo avaliado.


O aeroporto internacional de Santiago está fechado por estragos em algumas instalações, especialmente na torre de controle.Várias pontes e passarelas de pedestres, assim como estradas que ligam o norte ao sul do país, também estão interrompidas. As autoridades recomendaram não viajar salvo em casos de extrema necessidade. Em Santiago, há algumas estradas urbanas danificadas, segundo o ministro de Obras Públicas, Sergio Bitar.Este terremoto ocorre a poucos dias de completar 25 anos de outro que deixou centenas de mortos e destruiu várias localidades no litoral central do país, em 3 de março de 1985.


Fonte : ZH



Fotos do Pós terremoto no chile















Nenhum comentário:

Postar um comentário